Deka fez 20 questionamentos em plenário, mas saiu sem resposta.
Deka fez 20 questionamentos em plenário, mas saiu sem resposta.

Carolina Carradore
Tubarão

A estratégia da bancada oposicionista na câmara de vereadores de Tubarão, para barrar a aprovação de dois projetos que visam financiamentos na ordem de R$ 9 milhões, não deu certo. Os pares da base aliada conseguiram garantir quórum e aprovaram, na manhã de ontem, as duas matérias que objetivam recursos à construção do centro administrativo e o reaparelhamento do setor tributário.

Os quatro vereadores do PMDB (Ivo Stapazzol, Caio Tokarski, Evandro Almeida e Geraldo Pereira, o Jarrão) não compareceram na sessão com a esperança de que o grupo aliado não conseguisse quórum para votar os projetos. O elemento surpresa foi João Fernandes (PSDB), que apareceu na última hora.

Até então, todos achavam que ele tinha viajado para resolver questões pessoais. Logo no início da sessão, Fernandes pediu para que a votação fosse nominal. Isto abriu a possibilidade de voto para o presidente da casa, João Batista de Andrade (PSDB), o Sargento Batista.

O vereador Deka May (PP) listou 20 questionamentos em relação aos projetos, mas saiu da câmara sem nenhuma resposta. As matérias foram aprovadas por unanimidade. Uma emenda foi feita por Deka. O texto exige que todo o processo de licitação seja acompanhado pela casa legislativa.

Quanto a sua presença repentina, João Fernandes limitou-se na justificativa. Disse apenas que resolveu estudar o projeto na noite de quarta-feira. “Vi que estava tudo explicado e resolvi cancelar meus compromissos e aparecer”, resumiu.

“Estamos com a consciência tranquila”

Ontem à tarde, os vereadores da bancada do PMDB na câmara de vereadores de Tubarão – Ivo Stapazzol, Caio Tokarski, Evandro Almeida e Geraldo Pereira, o Jarrão -, explicaram o porquê se ausentaram na sessão extraordinária. Todos confirmaram que a atitude foi uma forma de protesto devido ao ‘bolo’ que levaram dos secretários nesta terça-feira.

A reunião tinha o objetivo de sanar algumas dúvidas em relação aos dois projetos que autorizam a prefeitura obter dois financiamentos no total de R$ 9 milhões. “Não apareceram porque, de fato, não sabem nada”, dispara Caio.

Eles protestam também quanto a postura do prefeito Manoel Bertoncini (PSDB). “Estamos com a nossa consciência tranquila. Buscamos, de todas as formas, encontrar uma maneira melhor para aprovar estas matérias”, lamenta Evandro Almeida.