Maycon Vianna
Tubarão

Trânsito a todo vapor, grande quantidade de veículos, clima de tensão… Trafegar no centro de Tubarão sexta-feira, ainda mais com tempo chuvoso, requer uma dose extra de paciência. E esta sexta-feira foi ainda mais ‘problemática’ para os motoristas. Em alguns pontos da cidade, o tráfego quase parou, não andava, literalmente.

Somente no cruzamento da ruas Tubalcain Faraco e Padre Bernardo Freuser, em um intervalo de apenas quatro horas, quatro pessoas ficaram feridas em acidentes. “O fluxo de carros em Tubarão é muito grande. Congestiona as ruas e avenidas e ainda tem o fato da imprudência dos motoristas”, expõe um policial militar.

Um dos acidentes ocorreu por volta das 17h34min. O motociclista Pedro Fermino Simão, de 42 anos, colidiu com um Corsa azul, com placas de Tubarão. Os dois foram encaminhados pelo Auto-Socorro de Urgência ao Hospital Nossa Senhora da Conceição com ferimentos na cabeça, nos braços e nas pernas.

E a população questiona-se: o que fazer quando o trânsito está caótico? Entre as respostas, está o fato de que Tubarão possui um carro para cada 1,6 habitante, aproximadamente. Em dias de chuva, o número de carros na estrada é aumenta. “O ideal mesmo é andar a pé. Deixar o carro em casa para evitar complicações. Tubarão, infelizmente, tem um trânsito pior do que cidade grande. São vias complicadas de trafegar, sinalização confusa, falta de consciência da população”, avalia o instrutor de auto-escola Marcos Antônio Pereira.

O orientador de trânsito aposentado Valdomiro Corrêa orienta: o ideal é evitar sair de carro, principalmente em dias de chuva. “De bicicleta, com um guarda-chuva, pegar carona com o vizinho… Qualquer coisa menos carros nas ruas. Isso dá mais segurança à população”, destaca.