Viaduto duplo de acesso principal a Tubarão foi uma das obras-de-arte especiais liberadas em dezembro de 2010. Meta do Dnit é finalizar toda a duplicação até julho deste ano, com exceção dos lotes 29 (Araranguá) e 25 (Laguna)
Viaduto duplo de acesso principal a Tubarão foi uma das obras-de-arte especiais liberadas em dezembro de 2010. Meta do Dnit é finalizar toda a duplicação até julho deste ano, com exceção dos lotes 29 (Araranguá) e 25 (Laguna)

Zahyra Mattar
Laguna

Apesar do ano ter fechado com número positivos no que diz respeito à duplicação do trecho sul da BR-101, o lote 25, entre Capivari de Baixo e Laguna, segue com os trabalhos parados desde o dia 20 de dezembro. O motivo é o mesmo que culminou na greve dos funcionários terceirizados do consórcio Blokos/Emparsanco/Araguaia: a falta de pagamento dos salários.
 
Em 14 de outubro do ano passado, um acordo foi fechado: o grupo pagaria os atrasados às empresas Amilton Lemos Engenharia de Obras, de Tubarão, e Cooperativa de Caminhões de Capivari de Baixo (Coopertranscap). Contudo, 2010 chegou ao fim com apenas duas parcelas pagas.
Resultado: os contratados não retornaram ao trabalho após o recesso de fim de ano. E nem vão. Esta semana, uma reunião com os gestores da Blokos, majoritária no consórcio, é esperada. Apesar de não ser impossível a líder sair do grupo, isso ainda não é cogitado pelo Dnit.
 
Com o novo impasse, a rescisão do contrato ganha ainda mais força e argumentos dentro do Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes (Dnit). O superintendente para a região sul do órgão federal, Avani Aguiar de Sá, já havia sinalizado, em dezembro, que isto deveria ocorrer este mês.

 
Ano fecha com 175,5 quilômetros de pistas duplicadas
Nos últimos três meses do ano passado, as empresas responsáveis pela duplicação do trecho sul da BR-101 concentraram os trabalhos na finalização das obras-de-artes especiais (OAEs). E isto ficou visível nos relatórios mensais produzidos pelo Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes (Dnit).
 
A quantidade de viadutos e pontes concluídos foi bem superior à quilometragem dupla. Contudo, é importante ressaltar que a finalização das obras de maior volume são necessárias para a duplicação efetiva.
 
Com isso, 2010 chegou ao fim com 73,38% das pistas concluídas, o equivalente a 175 quilômetros feitos (foram licitados 238,5 quilômetros).
Em dezembro, o índice de evolução das obras da BR-101 foi de 0,64% no comparativo com novembro. O valor é referente à duplicação de pistas, não considera a liberação de viadutos e pontes, por exemplo.
 
Parece pouco, mas 2010 terminou com a liberação de cinco grandes OAEs, caso do viaduto duplo de acesso principal a Tubarão (da avenida Patrício Lima).
 
No lote 26, entre Tubarão e Sangão, a Construtora Triunfo teve evolução de 2,63% em relação à duplicação de pistas. Este mês, os trabalhos continuam mais concentrados na edificação da passagem inferior do bairro São Cristóvão, a última OAE de grande porte do lote 26. Entre Imbituba e Laguna, no lote de obras 24, o serviço também evoluiu. O consórcio Construcap/Modern/Ferreira Guedes atingiu a marca de 97,18% das pistas duplicadas. No lote 25, entre Laguna e Capivari de Baixo, os trabalhos seguem paralisados desde o dia 20 de dezembro. O consórcio Blokos/Emparsanco/Araguaia não duplicou nada de julho a dezembro.