Fotos: Kalil Oliveira/Notisul
Fotos: Kalil Oliveira/Notisul

Kalil de Oliveira
Tubarão

Foram quatro dias de indefinição e reuniões na cúpula do PMDB de Tubarão que tiraram o sono de correligionários de Carlos Stüpp (PSDB) e Edson Firmino (PMDB), e resultaram, por unanimidade, na escolha de João Marcelo Fretta Zappelini, o Joma, para o vice na chapa da coligação “Tubarão quer mais”.

O nome estava em sigilo desde a manhã de ontem, quando o peemedebista era aguardado para dizer o “sim”. 

“O partido vai para essa eleição com muita vontade de ganhar. A causa é maior que o aspecto individual”, justificou Firmino, que garantiu apoio a Joma como se fosse para ele próprio. “Eu vou na justiça recuperar qualquer fato criado contra mim. Nenhuma multa no Brasil inteiro teve uma pena drástica a um candidato”, anunciou.

O presidente do PMDB de Tubarão, Luiz César Guimarães Marçal, negou que houvesse pressão por parte do PSDB. “Eles respeitaram. O que decidíssemos eles apoiariam. Olha, esta é a primeira vez que o PMDB vai com candidato a vice e parece que não é assim. Parece que é um partido só”, elogiou.

“Foi natural”, diz Joma
Para justificar a escolha de seu nome, Joma disse que sempre atuou com muito respeito ao colega Firmino e não se sentia preparado, mas foi um convite natural porque estava se destacando como candidato a vereador. 
“Não houve pressão do partido. Pelo contrário, foi tudo muito discutido. Foi um mês que, claro, não se perde tudo, mas alguma coisa”, reconheceu o novo candidato, que ainda não sabe como será a sua rotina. Hoje, pretende conversar com advogados para alterar o seu cadastro na justiça eleitoral.

Quem é João Marcelo Fretta Zappelini?
De uma geração de peemedebistas, João Marcelo Fretta Zapelini, o Joma, tem 39 anos e atualmente é suplente de vereador. Joma é conhecido no meio político como neto de Waldir Fretta, ex-presidente da Câmara de Vereadores de Tubarão e ex-candidato à prefeitura da mesma cidade, e como sobrinho do vice-governador Eduardo Pinho Moreira. É empresário do ramo hoteleiro em Termas do Gravatal e também atua em escritório de advocacia em Tubarão. Há 14 anos está na área pública, onde exerceu, em 2002, como secretário executivo do Conselho Estadual de Trânsito e, em 2006, conselheiro representante do Departamento Nacional de Trânsito (Detran) catarinense.

Prejuízo é de meio milhão

Nas rodas de conversas vários peemedebistas tentavam entender o que ocorreu. Uma das principais lamentações foi a perda com os materiais de campanha. A partir da homologação do novo candidato a vice de Stüpp, será proibido exibir a foto de Firmino, conforme o presidente da sigla em Tubarão, Luiz César Guimarães Marçal. “O prejuízo será de cerca de R$ 500 mil e, deste material, não foi usado ainda 20 por cento que está nas mãos dos candidatos a vereador. É grande, mas o maior prejuízo foi o que aconteceu com o nosso companheiro Firmino. É um trauma muito grande”, lamenta. Na avaliação do partido, não haveria tempo hábil para esperar a decisão da justiça a respeito da candidatura de Firmino. “Tivemos mais de três horas de reunião hoje e o nome que mais se encaixava por vários favores seria o Joma”, analisa.