Lysiê Santos
Tubarão

Chega o Réveillon e a proposta é sempre a mesma: começar um novo ano com boas energias e expectativas de mudanças. A virada é um momento de reflexão, de fazer planos e, principalmente de agradecer e comemorar um novo ciclo. Para isso, muitas pessoas seguem tradições, rituais religiosos e uma série de superstições, como pular sete ondas no mar, tomar banho de cheiro para atrair boas vibrações, defumar as casas, vestir-se de branco, entre tantas outras.

Na contagem regressiva, as pessoas que seguem as religiões de matriz africana, por exemplo, tem o costume de entregar oferendas à Iemanjá, considerada Rainha do Mar. De acordo com o dirigente espiritual Marcelo Correa, o Pai Marcelo de Xangô, cada ano é regido por um orixá. Em 2017, o período será regido por Oxalá. “A virada do ano é momento de agradecer e fazemos isso levando oferendas no local onde o santo que regerá o ano tem força. Em 2017, pai Oxalá, Senhor da Vida, receberá as oferendas”, explica. 

Ele ressalta que para o santo deve ser entregue flores brancas, canjica branca, merengue e bastante mel. “O próximo ano será para recomeços, reconciliações, mais prosperidade”, prevê Pai Marcelo. 

Além das oferendas à Oxalá, é costume entregar homenagens à Iemanjá, a Rainha do Mar, e fazer os pedidos com os pulos nas sete ondas.

Para os espiritas, a virada do ano é a continuidade de um ciclo evolutivo. Segundo o presidente da 15ª União Regional Espírita, Alcenir de Bona Melo, o progresso é resultado de nossas escolhas e, sobretudo, de nossas ações. “De nada adianta vestir cores, pular ondas, brindar o novo ano, se no coração permanece a mesma pessoa, presa aos velhos hábitos. Não possuímos rituais nesta data. Nossa jornada é muito longa, mas para concluir a trajetória é preciso progredir lentamente, dando um passo de cada vez. Nesse momento agradecemos a Deus pelas conquistas e pela oportunidade de novos aprendizados e crescimento espiritual”, relata o religioso.

Evangélicos reúnem-se e passam a virada na igreja
Diz a crença popular de que a maneira como se passa a festa de Réveillon influencia na sorte que se terá ao longo do ano que começa. Há, porém, quem longe de qualquer superstição quer passar a festa do mesmo jeito que pretende estar no resto do ano: perto de Deus.

Se muitos preferem passar a virada em shows seculares, outros optam por curtir o Réveillon na igreja. Essa é a principal escolha de evangélicos de Tubarão e região. Igrejas de diversas denominações realizam cultos especiais agradecendo a Deus pelo ano que se finda, e entregando o novo ano nas mãos do Criador. 

A pastora da Igreja do Evangelho Quadrangular de Braço do Norte, Maristelma Fornasa, explica que o momento é propício para agradecer a Deus. “Em tudo dai graças, diz a palavra. E não há melhor forma de iniciar o ano do que na presença de Deus. Na virada celebramos um culto de gratidão, e em momento de oração agradecemos ao Senhor pelo ano que termina e apresentamos a Ele nossos propósitos pedindo as bênçãos para uma nova etapa”, resume a pastora.

Festa da virada atrai mais de 300 mil turistas em Laguna
E para aqueles que gostam de começar o ano na beira-mar curtindo shows e muita diversão, Laguna tornou-se o ponto de encontro de famílias e amigos que devem lotar a areia do Mar Grosso no sábado. Mais de 300 mil pessoas são esperadas na cidade. A prefeitura trará várias atrações locais, como a Banda Prakatá e Juízo Final, a apresentação da bateria da Escola de Samba Mocidade Independente, além do show de fogos de mais de 15 minutos de duração. 

Já em Imbituba, o Canto da Praia da Vila será palco de comemoração e muita alegria também com atrações locais, como o Grupo do Gui e Everton Ferraz e Banda. A empresa RWC Eventos organiza a estrutura para os participantes que prestigiarão 15 minutos de show pirotécnico e toda a estrutura necessária para garantir a segurança do evento. 

Em Garopaba, mais de 100 mil pessoas devem celebrar a festa da virada na Praia Central e na Praia da Gamboa. O evento deste ano terá apresentação de shows com Mc Gabriel, Wallace Sorriso e Banda Matusa, com inicio às 21 horas. Durante a queima de fogos, seis bombas aquáticas serão lançadas ao mar, formando um leque de água a 150 metros de altura, todo iluminado pelas cores dos fogos.