Exatos 1 mês depois, tubaronenses continuam reconstrução de residências e estabelecimentos comerciais atingidos por vendaval  -  Foto:Rafael Andrade/Notisul
Exatos 1 mês depois, tubaronenses continuam reconstrução de residências e estabelecimentos comerciais atingidos por vendaval - Foto:Rafael Andrade/Notisul
Lysiê Santos
Tubarão
Hoje, completa um mês que um vendaval com rajadas de até 220 km/h atingiu Tubarão e região, deixando marcas profundas. Casas foram destruídas, comércios destelhados, plantações devastadas, famílias enlutadas. O fenômeno climático ficou marcado na memória de milhares de pessoas que presenciaram a força da natureza em uma tarde de domingo onde a temperatura e sensação térmica beiraram os 40ºC.

Apesar do susto e dos prejuízos, as famílias seguem a vida com determinação e com foco na reconstrução. Para isso, muitos aguardam a liberação do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). A prefeitura da Cidade Azul entregou, nesta segunda-feira, a relação oficial de ruas atingidas pelo vendaval ocorrido no dia 16 de outubro.

A lista foi elaborada com base nas informações repassadas ao município pelos próprios moradores, que puderam, presencialmente ou via internet, informar os danos sofridos pelo fenômeno. Os dados foram entregues pela secretária de Proteção e Defesa Civil, Elna Fátima Pires, ao gerente-geral da agência central da Caixa Econômica Federal, Bruno Piva.

Com base nessas informações, o banco deverá anunciar, nos próximos dias, os procedimentos para que os trabalhadores que residem em locais atingidos possam sacar o FGTS de direito, até o valor máximo de R$ 6.220,00 por conta.

Ponto de atendimento é definido, na Arena
Foto:
Jailson Vieira/Notisul


Já está definido que o ponto de atendimento aos cidadãos cadastrados para a retirada do FGTS, em Tubarão, será na Arena Multiuso. Os moradores de áreas atingidas devem reunir comprovantes de residência e documentos pessoais. O direito ao saque baseia-se no Decreto Federal 5113/2004, que estabelece, em seu Art. 1º: “O titular de conta vinculada do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) que resida em área do Distrito Federal ou de município, em situação de emergência ou estado de calamidade pública objeto de decreto do respectivo governo, poderá movimentar a referida conta por motivo de necessidade pessoal, cuja urgência e gravidade decorram de desastre natural”.
A Caixa ainda definirá como tratar alguns casos específicos, como os de prédios que ficam localizados em ruas elencadas. Moradores de casas atingidas, e cuja localização não consta na lista, como casas sem número, também poderão solicitar a inclusão.
A orientação aos moradores é de que guardem as evidências dos danos sofridos em suas residências, como fotografias, vídeos e notas fiscais de produtos adquiridos para fazer os reparos. Elas poderão ser solicitadas a qualquer momento. As próximas orientações serão publicadas nos próximos dias no site: tubarao.sc.gov.br.

Situação de emergência decretada: Pedras Grandes inicia cadastro de danos e também vai liberar FGTS
Após assinatura do decreto municipal nº 435, de 20 de outubro de 2016, que oficializou a situação de emergência em Pedras Grandes, por 180 dias, a Defesa Civil da cidade, a pedido da Caixa Econômica Federal, iniciou o cadastro de danos para a liberação do FGTS aos atingidos pelo fenômeno climático.
A inscrição iniciou nesta segunda-feira e prossegue até o próximo dia 28. De acordo com o coordenador de Defesa Civil de Pedras Grandes, Adson Batista Medeiros, os prejudicados pelo acontecimento climático devem preencher uma ficha de cadastro na prefeitura. “Tivemos algumas dificuldades para agilizar o processo e agora iniciamos o relatório. Após o levantamento dos dados, vamos fazer uma triagem e entregar as informações à Caixa para a liberação do FGTS”, detalha Adson. 
Ele orienta que o cidadão a ir com seus documentos e de três fotos: duas que registrem os danos e uma da fachada da casa atingida, preferencialmente que apareça o número da residência. “Para aqueles que já concertaram os danos, devem levar uma foto da fachada da casa, uma cópia da nota fiscal do valor investido e uma foto do local arrumado”, ensina o coordenador de Defesa Civil. 
A expectativa é que ainda este ano o benefício seja liberado. O cadastro será realizado de segunda a sexta-feira, das 8 às 13 horas, na prefeitura. Para outras informações, basta contatar os telefones (48) 3659-3000 ou (48) 99966-0058.


Vendaval destruiu casas e deixou um prejuízo de mais de R$ 7 milhões somente no setor de extrativismo vegetal, em Pedras Grandes
Foto:Defesa Civil de Pedras Grandes/Divulgação/Notisul