Clima amistoso marcou a entrega do ofício onde a prefeitura requer verba para o desenvolvimento de três projetos para alavancar obras nos setores de saneamento e drenagem.
Clima amistoso marcou a entrega do ofício onde a prefeitura requer verba para o desenvolvimento de três projetos para alavancar obras nos setores de saneamento e drenagem.

Tubarão

Entre os pontos onde a infraestrutura é mais carente em Tubarão, estão obras de saneamento e drenagem. O município avançou no que diz respeito a drenagem, mas ainda precisa trilhar um caminho mais do que longo no que diz respeito ao saneamento básico.

Ontem, o prefeito Manoel Bertoncini (PSDB) e o vice Pepê Collaço (PSD) entregaram um ofício ao secretário nacional de saneamento ambiental do Ministério das Cidades, Leodegar Tiscoski, no qual solicitam recursos para elaboração da base cartográfica da cidade, cadastro técnico e projeto básico integrado de drenagem urbana.

Os três levantamentos são essenciais para a solução dos problemas de drenagem e saneamento no município. “Esses estudos vão permitir que os projetos de macrodrenagem, por exemplo, sejam feitos de forma mais coerente, pois nortearão todas as ações destas áreas”, detalha o superintendente geral da Agência Reguladora das Águas de Tubarão, (AGR), Afonso Furghestti.

No total, os três projetos necessitam de um investimento próximo a R$ 4,4 milhões. Segundo Tiscoski, no início do próximo ano começa a seleção dos investimentos do PAC nas áreas de esgoto, drenagem, saneamento e resíduos sólidos. “Esta é a oportunidade para a cidade. Para isso, é preciso elaborar um projeto que contextualize a atual situação”, indicou o secretário.

Investimento pleiteado

• Base cartográfica ♦ R$ 1,3 milhão.
• Cadastro técnico das redes pluviais ♦ R$ 1,3 milhão.
• Projeto básico integrado de drenagem urbana ♦ R$ 1,8 milhão.

Total previsto R$ 4,4 milhões.