Amanda Menger
Laguna

Um bebê recém-nascido foi abandonado ontem pela madrugada na estrada geral do Siqueiro, no interior de Laguna. O menino foi achado em uma fazenda, enrolado em um pedaço de acolchoado e vestindo uma camisa vermelha e uma bermuda. As roupas eram de uma criança maior. Ele estava ainda com o cordão umbilical e um pouco de sangue no corpo.

O homem que encontrou a criança chamou a Polícia Militar (PM). Os policiais levaram o menino para o Hospital Senhor Bom Jesus dos Passos, em Laguna. A internação ocorreu por volta das 7h03min.
A conselheira tutelar de plantão, Michella Vargas Flores registrou o boletim de ocorrência na Central de Polícia Civil de Laguna. A guarda provisória da criança está com o conselho tutelar. “Se não encontrarmos a mãe, ou algum familiar, o bebê será encaminhado para adoção. Respeitando os procedimentos legais”, afirma Michella. É possível que uma família seja indicada para ficar com a guarda provisória do menino, assim que ele tenha alta hospitalar.

As investigações da polícia civil já começaram. “Entramos em contato com a equipe do posto de saúde do Siqueiro para saber se havia alguma mulher na fase final da gestação e que poderia de repente ter ganhado a criança ontem. Contamos também com os relatos da comunidade”, explica o delegado Rubem José Thomé Filho.
O boletim do hospital afirma que o bebê foi encontrado em uma fazenda na comunidade de Barreiros. O quadro de saúde do menino é estável, ele nasceu com 49 centímetros de comprimento, 3,3 quilos e já chegou à instituição sem o cordão umbilical. Ainda não há previsão de alta.

Robinho, abandonado em janeiro,
já tem um novo lar

O recém-nascido encontrado ontem em uma comunidade no interior de Laguna é a segunda criança abandonada este ano no município. O outro caso ocorreu no dia 17 de janeiro. Um bebê, também com poucas horas de vida, foi deixado em frente a uma residência no centro histórico de Laguna, próximo ao Sesc. A criança estava dentro de um saco plástico preto ainda com o cordão umbilical.

O bebê foi levado pelos policiais militares ao Hospital Senhor Bom Jesus dos Passos, ainda na noite de sábado. Após alguns dias de internação, o menino apelidado de Robinho foi encaminhado para adoção, já que a mãe não foi identificada, apesar das investigações da Polícia Civil e do Conselho Tutelar.
Abandonar crianças é crime e pode resultar de seis meses a três anos de detenção. Se houver lesão corporal, a pena é de um a cinco anos de reclusão. Se houver falecimento, a pena é de quatro a 12 anos.