O desassoreamento do Rio Tubarão é vital para prevenir novas catástrofes, como o trágico episódio de 1974, quando a cidade ficou praticamente debaixo d’água.
O desassoreamento do Rio Tubarão é vital para prevenir novas catástrofes, como o trágico episódio de 1974, quando a cidade ficou praticamente debaixo d’água.

Zahyra Mattar
Tubarão

Fim de ano é sempre época de presentes. Tubarão recebeu a verba do estado para a construção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 horas nesta sexta-feira e, neste mesmo dia, a bancada de Santa Catarina na câmara federal anunciou a rubrica de R$ 90 milhões no orçamento da União para o próximo ano, para o desassoreamento do Rio Tubarão.

Sob a regência do deputado federal Edinho Bez (PMDB), coordenador do Fórum Parlamentar Catarinense, foram escolhidas 15 emendas. Juntas, garantem o investimento de R$ 890 milhões para o desenvolvimento de obras importantes em todas as regiões catarinenses (veja todos os itens selecionados no quadro ao lado).

“Todos foram ouvidos e procuramos contemplar quase todas as obras necessárias para o estado. A saúde foi a prioridade. O setor recebeu quatro das 15 emendas selecionadas”, informa Edinho.
O maior dilema, completa o deputado do sul do estado, foi escolher apenas 15 itens (limite máximo por estado) entre o grande número de solicitações que entrarão no orçamento federal. “São emendas de bancada e todas as regiões de Santa Catarina precisam ser beneficiadas. Não foi um trabalho fácil”, considera.

O desassoreamento da calha do Rio Tubarão é um investimento de impacto regional, e não apenas para a Cidade Azul. O transbordo do manancial gera prejuízos para todas as cidades do entorno e também para as que estão acima, como Braço do Norte, por exemplo.

Meta é começar a obra no próximo ano

O projeto básico será elaborado com recursos do governo do estado (R$ 1 milhão), a partir do estudo preliminar entregue ao secretário de planejamento, Filipe Mello, no começo de julho deste ano, na Amurel.
Este é o estudo desenvolvido pelo Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra) e pela Cidasc em 2008, e já inclui a batimetria do rio, cujo resultado mostra que, em alguns pontos, a calha do rio está 40% comprometida.
É necessário remover pelo menos 6.831.455,075 metros cúbicos de material do fundo do rio. A obra compreende todo o trecho do manancial. São 29,7 mil metros entre a área urbana de Tubarão até a foz, em Laguna.
O projeto a ser feito atualizará planilhas, toda a parte técnica e também o orçamento. Hoje, trabalha-se com a estimativa de que todo o trabalho custe R$ 80 milhões, mas pode passar disso.

As propostas dos deputados deSanta Catarina para o próximo ano

♦ Adequação do trecho rodoviário entre SC-416, em Guaramirim, e a divisa com o Paraná, na BR-280.
Valor: R$ 100 milhões

♦ Apoio ao pequeno e médio produtor agropecuário.
Valor: R$ 49 milhões
 

♦ Hospital do meio-oeste.
Valor: R$ 50 milhões

♦ Aquisição de ônibus escolar.
Valor: R$ 49 milhões

♦ Construção do Centro de Eventos de Curitibanos.
Valor: R$ 20 milhões

♦ Construção do Hospital Sarah Kubitschek em Florianópolis.
Valor: R$ 50 milhões

♦ Desassoreamento do Rio Tubarão.
Valor: R$ 90 milhões

♦ Aquisição de equipamentos para hospitais.
Valor: R$ 90 milhões

♦ Contorno viário de Criciúma.
Valor: R$ 29,9 milhões

♦ Fomento às incubadoras de empresas e parques tecnológicos.
Valor: R$ 40 milhões

♦ Hospital Regional do Oeste, em Chapecó.
Valor: R$ 30 milhões

♦ Implantação da Universidade Federal de Blumenau (Furb).
Valor: R$ 100 milhões

♦ Implantação do segundo trecho da via expressa sul, acesso ao novo terminal de passageiros do Aeroporto Hercílio Luz, em Florianópolis.
Valor: R$ 70 milhões

♦ Ponte Hercílio Luz.
Valor: R$ 70 milhões

♦ Saneamento básico em municípios com menos de 50 mil habitantes.
Valor: R$ 49,9 milhões