Duplicação da BR-101, geração de emprego, fortalecimento da indústria e assinatura da ordem de serviço à obra da arena marcaram 2010.
Duplicação da BR-101, geração de emprego, fortalecimento da indústria e assinatura da ordem de serviço à obra da arena marcaram 2010.

Zahyra Mattar
Tubarão

Alguns lerão esta página já em 2011. Para outros, ainda será 2010. Mas todos certamente estarão com a esperança renovada. Afinal, um novo ano nasce e devemos ser gratos, no mínimo, por estarmos vivos, com saúde, com força para transpor os desafios que 2011 trará.
 

Em 2010, vimos a improvável Arena Multiuso de Tubarão sair do papel. O prefeito Manoel Bertoncini assinou a ordem de serviço para obra no apagar das luzes. Já tem até data prevista para inaugurar: agosto de 2011. Esporte, cultura. Teremos chances de ter mais investimentos nestes setores ainda tão secundários.
Vimos a BR-101 passar de menos de 50% de obras prontas para mais de 72%. Ah, mas falta muita coisa ainda! Falta, é verdade. Mas alguém já parou para pensar o quanto mais longe o fim estava? Somos assim mesmo, imediatistas.
 

Para 2011, ficou a finalização do lote 26, de Tubarão a Sangão, a resolução do que fazer com o lote 25, entre Laguna e Capivari de Baixo. Ali, as obras pararam.
Também vimos o ‘nosso’ Aeroporto Regional Sul, em Jaguaruna, ficar quase pronto para decolar. Nos próximos 12 meses, o desafio será fazer a concessão, atrair empresas interessadas em operar aqui, construir o almejado e necessário terminal de cargas. Vimos ainda ser entregue a ordem de serviço para pavimentação da SC-100, a futura Interpraias.
Que festa! Em 2011, voltaremos com a Interpraias, mas para contar sobre o avanço da obra. O mesmo em relação à pavimentação entre Pedras Grandes e Orleans. Será o efetivo começo da implantação da rodovia turística Serramar.

Um ano de (muitas) realizações
 Mesmo sem toda a infraestrutura, 2010 não foi assombroso. O problema é que tendemos a ver primeiro o lado ruim. Quando vemos o bom antes é como na história da BR-101: a obra avançou, mas já era para ter acabado. É verdade, mas poderia ser pior. Já foi (bem) pior.
Sem duplicação, sem aeroporto e sem Ferrovia Litorânea, a geração de emprego foi acima da média na região. Imagino o que nos aguarda em 2011, quando teremos a implantação de condomínios industriais em Imbituba, Laguna e Tubarão.
 

Isto sem contar com atividades como a suinocultura, em Braço do Norte. A expectativa é de retomada em 2011. Os últimos três anos foram trágicos para o setor. Tem a pesca, em Laguna, Imaruí, Imbituba, Jaguaruna. Há promessa de investimento da esfera federal.
Teremos o Presídio Regional de Tubarão pronto e, quem sabe, a concessão da água em Tubarão concretize-se. O edital está na praça. Com isso, teremos investimento recorde em água e esgoto. Será a salvação do Rio Tubarão.
Saúde! Três postos novos em Tubarão e também um Pronto Atendimento 24 horas. Está no orçamento. O processo de liberação do projeto é finalizado junto à Caixa Econômica Federal.
 

E o turismo? Não haverá atividade que terá mais chance de desenvolver-se em 2011 do que o turismo. Porque é justamente nos próximos 12 meses que a infraestrutura que nos faltou em 2010 será concretizada.
Definitivamente, em 2011 seremos grandes e não apenas no papel, como diz a lei sancionada neste fim de ano que nos batizou de a Grande Tubarão. Viu como temos do que nos orgulhar, o que comemorar!? Espetacular 2011 para você!