Amanda Menger
Tubarão

Em três meses, a primeira estação hidrometeorológica de um total de quatro deve estar em operação. O prazo pode variar um pouco, devido às obras de reforma na antiga Estação de Tratamento de Água (ETA), às margens do rio Tubarão. Ontem, representantes da secretaria de planejamento da prefeitura e do Senai estiveram reunidos para definir o convênio técnico entre as entidades.
“O Senai é nosso parceiro neste projeto de monitoramento do rio Tubarão desde 2007, junto com a Alcoa. Eles desenvolveram um software e agora queremos que cooperem com a parte técnica e de logística para que possamos concretizar a ideia”, explica o secretário de planejamento da prefeitura, Edvan Nunes.

A fase agora é de adaptação da planta baixa da antiga ETA. “Temos que definir quais os ambientes serão usados e o que precisa reformar. Assim, teremos um levantamento de custos e uma noção de prazo para as obras. A lista com os equipamentos que precisam ser comprados já está conosco”, revela Edvan. A intenção é marcar uma apresentação formal ao prefeito Manoel Bertoncini (PSDB) após o Carnaval. “Quem sabe em seguida o prefeito autorize a licitação, já que a Alcoa depositou R$ 46 mil na conta da prefeitura para colaborar neste projeto, que é pioneiro”, afirma o secretário.

Segundo Edvan, o projeto de monitoramento do rio tramita em Brasília e pode receber recursos do governo federal. “Se recebermos os R$ 480 mil que solicitamos, poderemos agilizar a implantação das outras estações em Lauro Müller, Braço do Norte e Armazém”, observa Edvan.
A estação receberá as informações dos sensores que medirão velocidade e direção do vento, precipitação, vazão do rio. “Os dados precisarão ser analisados para que possamos monitorar o rio e, assim, determinar ações preventivas e/ou de emergência. Hoje, infelizmente, não temos dados em tempo real”, diz o secretário.