Zahyra Mattar
Tubarão
 
O setor da construção civil foi um dos que mais empregou no ano passado na região. Também pudera: as facilidades em adquiri um imóvel e a injeção de recursos com o programa federal Minha Casa Minha Vida ajudaram a alavancar a atividade. A área já vinha em certa crescente desde 2005 e os empresários do setor apostam em uma explosão exponencial este ano. Economicamente, a estimativa é um índice entre 5% e 7,5%.
 
A quantidade de área construída também deve ser bem maior do que a registrada em 2010. O ano passado fechou com 110 mil metros quadrados de espaços em edificação na região. Neste, deve ser 10% maior. “Apesar desta excelente expectativa, o que continua a nos preocupar é a falta de mão-de-obra. Poderíamos prever um crescimento muito maior”, lamenta o presidente do Sindicato da Construção Civil de Tubarão e Região (Sinduscon), Silvio Ghisi.
 
Somente na empresa dele, são 20 vagas abertas desde o ano passado. E serão preenchidas por baianos. “Tenho um funcionário de lá e paguei a viagem para ele trazer outros interessados. Fretei um avião e eles chegam dia 17. Contratar, aqui na região, tem sido uma dificuldade quase que intransponível”, avalia Silvio.
 
Toda esta dificuldade, completa Silvio, faz com que o setor não tenha condições de expandir. O resultado também já é verificado. Na região, a demanda de pessoas em busca de imóveis é pelo menos o dobro da quantidade de apartamentos e casas à disposição. “O desafio para 2011 é encontrar trabalhadores”, reforça Silvio.