LHS e o secretário de educação inauguraram duas escolas em Tubarão.
LHS e o secretário de educação inauguraram duas escolas em Tubarão.

Tatiana Dornelles
Tubarão

“A nossa expectativa é que não haja greve dos professores. Se não houver adesão e as escolas continuarem em funcionamento, será concedido o aumento”. A garantia é do governador do estado, Luiz Henrique da Silveira, que esteve ontem em Tubarão para inaugurar duas escolas (Santo Anjo da Guarda e João Teixeira Nunes – leia mais na matéria ao lado).

A reivindicação da categoria, que deseja reajuste salarial incorporado ao salário, é legítima e bem-vinda, segundo o secretário de estado da educação, Paulo Bauer. “Mas a reivindicação tem que vir apresentada junto com a proposta de valorização da profissão. Não adianta apenas pedir aumento. Não tem expectativa de greve”, ressalta Bauer.

Quanto ao valor de R$ 200,00 para despesas do professor (como aquisição de livros, guarda-pós, enfim, materiais para uso do profissional), o secretário enfatiza que a remuneração ‘indenizatória’ permitirá melhorar os ganhos da classe. “Faz diferença. Além disso, é mais de 25% do piso que ganha um professor em início de carreira. Do primeiro dia de governo até hoje, houve um aumento salarial de 105%”, compara.

A professora Abigail Farias Teixeira, de Tubarão, diz que a categoria quer os valores incorporados ao salário. “Se o professor afasta-se ou aposenta-se, perde as bonificações. Assim, não vale a pena aposentar-se. Não pretendo fazer greve, mas eles (governo do estado) sabem o que o professor passa”, declara.

Entre as reivindicações dos professores da rede estadual, está a incorporação de R$ 100,00 ao salário, o que equivale a aproximadamente 19,65%. Na última reunião da classe, em Curitibanos, foi falado em mais um reajuste de 6,8%, porém, nada está definido. Hoje, haverá uma audiência entre representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte) e o secretário de educação do estado.