Zahyra Mattar
Tubarão

Um dos atos mais esperados por parte do governo do estado ocorreu ontem em Tubarão. O secretário de estado de segurança pública, Ronaldo Benedet, assinou o edital de licitação para o início da primeira etapa das obras do novo prédio do Presídio Regional, no bairro Bom Pastor: a terraplanagem. Mais dois editais são preparados pela pasta. Um para a execução das obras de engenharia básicas (fundação do prédio, parte elétrica e hidráulica, entre outras) e outro para a obra de CRC (concreto de alta resistência.

O novo prédio será feito com blocos pré-moldados de concreto. Após a conclusão das obras de engenharia básica, a “montagem” do prédio leva três meses. A previsão é finalizar toda a obra em um ano. “Aprendi que não se deve dar prazo para obra. Podem ocorrer problemas judiciais com a licitação ou chover um mês direto. Mas garanto a finalização até o primeiro semestre do próximo ano. Isso pode escrever que assino embaixo”, garantiu Benedet.

A previsão é que a segunda etapa comece em meados de abril. O projeto de engenharia será finalizado neste mês, quando o orçamento deverá ser divulgado. Por ora, é trabalhado com o valor aproximado de R$ 3,5 milhões. Pouco mais de R$ 800 mil estão disponíveis por enquanto. “Não faltará dinheiro. Há verba disponível no Fundo de Melhoria da Segurança Pública”, assegurou Benedet.

Construção de Companhia em Braço
do Norte inicia na próxima segunda-feira

Após quatro anos de insistência, a população de Braço do Norte teve uma antiga reivindicação atendida: a construção da Companhia de Policia Militar de Braço do Norte. A ordem de serviço à construtora Carlessi, para o início das obras, foi assinada pelo secretário estadual de segurança pública, Ronaldo Benedet, na manhã de ontem.

O prédio será construído, em 180 dias, no bairro Santa Augusta, em um terreno doado pelo morador Dalésio Della Giustina. Além de Braço do Norte, oito municípios serão assistidos pela companhia: Armazém, Grão-Pará, Rio Fortuna, São Ludgero, São Martinho, Santa Rosa de Lima, Gravatal e Orleans.

Ao todo, serão investidos R$ 419 mil na obra. Cerca de R$ 200 mil a menos que o previsto. “Nossa região é menor em número de habitantes, mas não menos importante. Em território é extensa e merece esta atenção”, destacou o secretário de desenvolvimento regional em Braço do Norte, Gelson Luiz Padilha (PSDB).
Atualmente, a companhia de Braço do Norte conta com 108 policiais que atendem os nove municípios. Com a nova estrutura, a previsão é que o policiamento da região seja feito por 150 homens.

Acesso é garantido
Para contribuir com a melhoria feita pelo estado, o prefeito interino de Braço do norte, Ronaldo Fornazza (DEM), anunciou ontem a liberação de R$ 441 mil para a melhoria da rua Severiano Sombrio, principal acesso à nova sede da companhia. “Os recursos já estão disponíveis. A licitação para obra deve ser realizada no dia 9 de março”, afirma.

Confira detalhes da futura obra
O novo prédio do presídio terá 240 vagas (com possibilidade de ampliação por conta do prédio ser construído com os blocos de concreto). Em toda a estrutura das celas, não será usado ferro e sim fibra de aço. Tudo será monitorado por um circuito fechado de câmeras. Também não haverá muro. Tudo será fechado com cercas e torres para guarda. O muro será apenas na área reservada para o banho de sol (chamado de solar).

Outro detalhe é que os agentes não terão mais contato com os detentos. As celas serão abertas por um mecanismo diferente do atual. Os agentes ficam em cima das celas e observam toda a movimentação de lá. O sistema de luz e água também será controlado por eles.
As celas terão janelas, feitas de poliometano, um material resistente e que garante a passagem de luz. Outro detalhe é quanto à climatização. O blocos de concreto garantem que o ambiente das celas fiquem quatro graus menor nos dias quentes ou maior nos dias mais frios.

Além da questão de segurança, a nova estrutura terá sala para encontros íntimos, refeitório e alojamento para os agentes prisionais, depósito, ambulatório e salas administrativas. O terreno onde o novo prédio será erguido tem 57.933,41 mil metros quadrados.
Nem toda área será ocupada pela edificação. A ideia do estado é fechar uma parceria com alguma indústria para que a mão-de-obra dos internos seja utilizada. Cada detento custa, para o estado, ou seja, para o cidadão, cerca de R$ 1,5 mil por mês. Isto se o preso não adoecer. Caso isso ocorra, o gasto mensal poderá ser, no mínimo, dobrado.