Amanda Menger
Tubarão

Em um mês, é a segunda vez que os detentos do Presídio Regional de Tubarão tentam fugir. Nesta semana, seis mulheres fugiram da instituição, ao escavar um buraco de 30 centímetros na parede. Ontem, os presos serraram a grade que fica sobre o pátio e puxaram as duas telas de proteção. A tentativa ocorreu no fim da tarde, pouco antes de voltarem às celas.

“Os presos da galeria geral estavam no pátio. Eles foram muito rápidos. Serraram a grade e puxaram a tela. Um dos policiais militares viu e já chamou os demais. Se demorasse um pouco mais, teriam conseguido fugir”, conta o diretor do presídio, Ricardo Dias Welausen.

Depois de controlar a situação, já que na galeria geral há 110 presos, as celas passaram por um pente fino. Foram encontrados dois celulares, dois carregadores de bateria, um chip, um cachimbo de crack, um torrão de maconha e vários ‘espetos’. “A situação está complicada e é preocupante. Temos 247 presos. Quanto mais gente, mais difícil controlar”, avalia o diretor.
A primeira tentativa de fuga ocorreu no dia 10 de junho. Cinco detentos da ala do seguro escavaram um buraco na parede, porém, foram ouvidos pelos agentes penitenciários.

Ordem de serviço
pode sair em 30 dias

Com a terraplanagem pronta, falta pouco para que as obras de construção do novo edifício do Presídio Regional de Tubarão tenham início. Estas fases compreendem as obras civis e a compra das celas em módulos. A comissão de licitações da secretaria estadual de segurança pública analisa os pedidos de impugnação de nove das 13 empresas que apresentaram as propostas financeiras, há cerca de 20 dias.

“Acredito que em mais 30 dias já poderemos inclusive lançar a ordem de serviço. Isso, claro, se não houver contestações judiciais, porque fazem parte do processo licitatório. Aí, em mais dez meses, inauguramos esta obra tão importante para a segurança pública da Amurel”, afirma o secretário estadual de segurança pública e defesa do cidadão, Ronaldo Benedet.

A necessidade de construir um novo prédio fica ainda mais evidente após a fuga de seis detentas esta semana e as duas tentativas (ontem e no início de junho). “É para isso que estamos trabalhando, para ter um novo prédio onde não ocorrerão fugas”, garante Benedet. O novo prédio do presídio terá capacidade para 240 vagas e a obra está orçada em R$ 6,8 milhões.