Amanda Menger
Tubarão

A comunidade tanto protestou que conseguiu. O governo do estado desistiu de comprar o terreno para a construção do novo Presídio Regional de Tubarão em Congonhas. A informação foi repassada pelos assessores do secretário estadual de segurança pública e defesa do cidadão, Ronaldo Benedet, ontem, ao secretário de desenvolvimento regional em Tubarão, César Damiani.

Entre os motivos para o descarte, está o alto valor da área. O proprietário pediu R$ 45 mil por hectare e o avaliador do estado estimou em R$ 20 mil. No total, o valor dos cinco hectares chegou a R$ 225 mil, e o estado avaliou em R$ 100 mil. “O preço pedido foi alto pelos padrões financeiros do estado, além de alguns argumentos levantados pela comissão de moradores que foram observados pelos técnicos da secretaria de segurança pública”, explica César.

Terça-feira, o secretário e o gerente regional de infra-estrutura, Léo Goularte, visitaram duas áreas, uma de seis hectares e outra de dez. César não descarta reabrir a discussão pelo terreno que pertence à Tractebel Energia, na divisa entre Tubarão e Capivari de Baixo.

A visita dos técnicos do Departamento Estadual de Administração Prisional (Deap) ainda não foi agendada e pode não ocorrer nesta semana. “Quero realizar, antes da vinda dos técnicos, uma reunião com os corretores de imóveis de Tubarão para que eles sugiram outras áreas para que possamos apresentar mais sugestões durante a vistoria”, revela César.

Entre as áreas sugeridas estão: o Campo da Eira, uma área próximo à antiga Fazenda do Dodô (em Laguna), Sertão da Estiva dos Pregos (em Capivari de Baixo) e Jabuticabeira (em Jaguaruna).