Zahyra Mattar
Tubarão

Nada de férias na prefeitura de Tubarão neste começo de 2010. Na próxima segunda-feira, os secretários, adjuntos, assessores e demais servidores municipais têm que bater cartão. Se 2009 foi turbulento – teve a gripe A, teve a crise e a baixa arrecadação -, em 2010, a meta obstinada é fazer a máquina pública funcionar.
E um dos ingredientes desta receita não poderia ser outro senão o corte de pessoal. Esta etapa, ainda que dolorosa, como afirma o agora prefeito de Tubarão Fellipe Luiz Collaço (PP), o Pepê (Manoel Bertoncini – PSDB – está de férias até dia 15 de janeiro), foi vencida nesta quarta-feira.

Dos 241 servidores em cargos comissionados, 82 foram exonerados. Sobraram 161. Destes, 45 são funcionários efetivos do quadro de pessoal da prefeitura e não acumulam salário por terem sido “promovidos” a cargo de confiança. Logo, de comissionado mesmo sobraram 116. O percentual ficou pouca coisa fora do anunciado ao longo da semana – até então, falava-se em 40% dos comissionados, o que daria 97 demissões.

Não menos importante: comissionados ou não, o trabalho de todos os servidores será reavaliado a cada mês. A meta é promover uma reforma administrativa inédita na prefeitura de Tubarão – ainda que Bertoncini não goste que seja colocado desta forma. É preciso respirar fundo e dar esta chance.
“Não vou fazer nenhuma revolução. Não vou prejudicar ninguém. Não tenho nenhuma destas intenções. O que quero é melhorar o atendimento ao cidadão. É isto o que eu quero. E é isso o que eu vou fazer”, pontuou Bertoncini no ato de transmissão de cargo ao vice, Pepê, na manhã de quarta-feira.

Plano de cargos e salários
será apresentado em fevereiro

A reforma administrativa a ser proposta pelos gestores da prefeitura de Tubarão tem um único objetivo: tornar o órgão público eficiente. “Vamos diminuir algumas atividades em janeiro, mesmo porque isto já é uma rotina na prefeitura de Tubarão e gera economia. A nova estrutura será finalizada em fevereiro, quando espero enviar o projeto para a câmara. O objetivo é criar uma estrutura mais ágil para administrar a cidade. O foco é atender bem o cidadão que paga o nosso salário”, aponta o prefeito Manoel Bertoncini (PSDB).

A pretensão é colocar o projeto em prática já em março de 2010. Daí o corte agora. Entre os que ficaram nos cargos comissionados, estão os secretários, adjuntos e assessores especiais. O impacto financeiro é ainda apenas uma estimativa. Números concretos, adianta o vice Fellipe Luiz Collaço (PP), o Pepê, serão possíveis somente em fevereiro. “É preciso primeiro analisar a folha de janeiro. Por cima, avalio que não será menos do R$ 100 mil por mês de economia somente na folha salarial”, especula.

Também em fevereiro, a prefeitura apresentará o esboço do plano de cargos e salários dos servidores municipais. A meta não é apenas economizar, mas também valorizar os profissionais. Todos terão chance de progredir e alçar cargos mais altos na prefeitura.
“O que há são propostas. O plano será delineado em janeiro. O que temos decidido é que todo dia 1º de maio será a data do reajuste salarial”, revela Pepê.