Amanda Menger
Laguna

Depois da prefeitura de Capivari de Baixo, foi a vez de Laguna controlar os gastos para se ajustar à lei de responsabilidade fiscal. Cerca de 50 funcionários foram exonerados.
A principal justificativa é que os funcionários demitidos são comissionados e podem ter os contratos rescindidos a qualquer momento. De acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura, a medida tomada pela administração foi apenas antecipar as dispensas, previstas para dezembro.

O número exato de exonerados não foi divulgado, até porque mais pessoas poderão ser demitidas. Um comunicado oficial deverá ser distribuído aos meios de comunicação quando todas as exonerações tiverem ocorrido. A garantia da prefeitura é que os serviços essenciais, como saúde e educação, além da limpeza das praias e manutenção das vias urbanas, não serão comprometidos.

Capivari
Em Capivari de Baixo, as demissões de servidores contratados em caráter temporário ocorreram na semana posterior ao pleito. A argumentação da prefeitura foi de enxugamento das despesas, em especial as com o quadro de funcionários. O número exato de exonerados não foi divulgado, mas estima-se que tenham sido em torno de 500 pessoas. A maioria comissionados e estagiários.

Além das demissões, a prefeitura adotou outras medidas para diminuir os custos. Uma delas foi reduzir o horário de atendimento do Pronto-Atendimento 24 horas, que funcionará 12 horas por dia até o fim do ano. Alguns serviços foram suspensos, como os de endoscopia, por exemplo.