Zahyra Mattar
Tubarão

As várias rachaduras profundas nos pilares da ponte Nereu Ramos, no centro de Tubarão, podem ter como consequências a deterioração estrutural da passagem. Além do movimento expressivo diário sobre a ponte, o local ainda suporta dois pesos extras: um por conta do semáforo e outro pelos galhos que pressionam a estrutura na parte inferior.

Os secretários de planejamento, Edvan Nunes, e de desenvolvimento urbano, Anselmo de Bona, confirmam que o concreto das quatro principais pontes de Tubarão não está “com prazo de validade vencido”. Por outro lado, eles concordam que o fato das ferragens estarem expostas à ação do tempo pode trazer sérios problemas à segurança pública.

Esta semana, um engenheiro civil, especialista em pontes de concreto, virá a Tubarão para analisar a estrutura da passagem. Ele emitirá um laudo sobres as reais condições do local. “A situação não é boa. Quando há exposição de ferragens nunca é. Um engenheiro da secretaria já avaliou o local e não encontrou problemas graves. Seja como for, este é um caso que merece atenção, já que falamos de dezenas de vidas”, pondera Edvan.

A estrutura dos pilares da ponte Nereu Ramos não é um problema “novo”. Pelo contrário. A parte de concreto que caiu e deixou as ferragens à mostra é a mesma que cai desde 1978. “Sempre foram feitos remendos. Agora, faremos este laudo mais completo para avaliar melhor o que é correto fazer para sanar de vez isto”, confirma o secretário de planejamento.