Amanda Menger
Tubarão

Os serviços de água e esgoto não serão privatizados em Tubarão. A garantia é do gestor do Fundo Municipal de Água e Saneamento Básico, Fundasa, Afonso Furghesti. Na sexta-feira, o assunto voltou à discussão durante a audiência convocada pelo Fundasa para apresentar o Plano Municipal de Águas e Esgoto (Pmae). Durante o encontro, ex-funcionários da Casan protestaram e argumentaram que a concessão significa privatização. A informação, porém, é contestada pelo gestor do órgão, Afonso Furghesti.

“Primeiro, é preciso entender que não podemos vender algo que pertence ao município, por isso, não é privatização; segundo, porque o município continua como titular do serviço e tem o dever de fiscalizar todas as ações da permissionária”, explica.
Na audiência, o prefeito Carlos Stüpp explicou quais os motivos o levaram a decidir pelo modelo de concessão como forma de financiar os investimentos que chegam a R$ 180 milhões.

“Esta é a forma mais fácil e rápida de resolver este problema, que não é apenas de Tubarão. Avaliamos bem. Financeiramente, o município não tem como arcar, e o nosso histórico com a Casan nos fez pensar que a concessão a uma empresa privada é o melhor caminho”, avalia o prefeito.