Amanda Menger
Tubarão

As discussões para a elaboração de um novo Plano Diretor para Tubarão arrastam-se há mais de dois anos. Na sequência dos trabalhos, os integrantes do Núcleo Gestor e do consórcio responsável pela proposta discutem hoje o planejamento da cidade do ponto de vista da segurança. O encontro ocorre às 8h30min, no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Tubarão.

“A Polícia Militar apresentará novamente o relatório sobre os pontos críticos. Eles darão suas sugestões com relação aos problemas de infraestrutura, principalmente relativos à acessibilidade dos veículos. O combate à criminalidade exige que a polícia e outros órgãos de segurança consigam chegar rapidamente aos locais em que são chamados. A equipe responsável pelo novo Plano Diretor precisa conhecer quais são os pontos problemáticos e prever as soluções, ou pelo menos ações que amenizem a situação”, observa o presidente do Conselho Municipal de Segurança, vereador Maurício da Silva (PMDB).

Os representantes dos Conselhos Comunitários de Segurança (Consegs) também apresentarão as suas reivindicações. “Quem vive o dia-a-dia é que pode falar das necessidades. Afinal, cada comunidade tem uma realidade diferente e, por consequência, as sugestões também serão voltadas aos problemas locais”, avalia Maurício.

As propostas recebidas pelos integrantes do Núcleo Gestor estarão na pauta da audiência pública, marcada para amanhã, às 19h30min, no auditório da Escola Técnica do Comércio de Tubarão (ETCT). A previsão é que o novo Plano Diretor seja enviado para a câmara de vereadores até setembro.A Amurel produz pouco perto do oeste catarinense, por exemplo. São entre 400 e 420 mil litros por dia. Mais da metade, entre 60% e 70%, é consumido na própria região. O restante é vendido para a indústria. Ao todo, a regional da Epagri em Tubarão coordena quatro mil produtores de leite nos municípios da Amurel, além das cidades de Paulo Lopes e Garopaba.