Rafael Andrade
Braço do Norte

As eleições municipais estão próximas, mais precisamente daqui a 22 dias. Neste ano, 144 milhões de eleitores estarão aptos para ir às urnas no dia 2 de outubro, mais de 200 mil na região. Houve um acréscimo de 4% em relação a 2012. As mulheres continuam maioria entre os votantes, como nas duas últimas eleições, com 52% do eleitorado, ante 47% de homens.
Em Braço do Norte, onde Ademir da Silva Matos (PMDB) e Beto Kuerten Marcelino (PSD) encabeçam as duas chapas à majoritária, o Notisul contratou e divulga a sua primeira pesquisa na corrida pelo voto. É uma das mais aguardadas e de maior credibilidade na região. A avaliação foi executada pelo Instituto de Pesquisa Catarinense (IPC), que ouviu 400 entrevistados entre esta quarta e quinta-feira em 19 bairros e no Centro. Braço do Norte é o quarto maior em número de habitantes na Região Metropolitana de Tubarão, com 32.209 (IBGE-2016) e tem um dos maiores coeficientes eleitorais de Santa Catarina.
A pesquisa quantitativa de intenção de voto aponta que Beto está com 53,5%, e Ademir com 39%, o que resulta em uma diferença de 14,5 pontos percentuais à frente do adversário na Estimulada, que indagou da seguinte maneira: Se as eleições para prefeito de Braço do Norte fossem hoje, e os candidatos sendo estes: Ademir Matos-PMDB e Mano-PMDB; ou Beto-PSD e Ronaldo Fornazza-PP, em qual chapa você votaria? Os que não sabem somaram 5% e nenhum (branco/nulo) foi respondido por 2,5% dos eleitores.
Na Espontânea, que realizou a seguinte pergunta aos entrevistados: Se as eleições para prefeito de Braço do Norte fossem hoje, em quem você votaria? Beto aparece à frente mais uma vez, com 39,25% das intenções de votos, já Ademir figura com 26,5% da preferência do eleitorado. Não sabe despontou com 33%, e nenhum somou 1,25%.
Um dado bem relevante também foi questionado na pesquisa no quesito Rejeição. Os pesquisadores realizaram a seguinte pergunta: Se as eleições para prefeito de Braço do Norte fossem hoje, e os candidatos sendo estes, em qual chapa você não votaria de jeito nenhum? O resultado pode ser conferido na edição impressa deste fim de semana. A margem de erro máxima é de 4,9% para mais ou para menos.