Tatiana Dornelles
Imbituba

Quem procura morar ou passar o fim de semana em uma praia, geralmente quer sossego, tranqüilidade, ficar longe do agito. E na Praia do Rosa, em Imbituba, não é diferente. Um estabelecimento comercial, conhecido por realizar grandes festas e eventos, tem tirado a tranqüilidade de quem reside nas proximidades.

Segundo relatos dos moradores da praia, o lugar não obedece as normas do Conama no que se refere ao ruído permitido, nem mesmo teria alvará de funcionamento e licença. “Há uma lei que prevê o fechamento de casas noturnas às 4 horas. Entretanto, este estabelecimento não obedece e não há fiscalização. Temos que agüentar o som alto e a bagunça até as 7 horas, quando não passa disso”, reclama o jornalista Chico Ferreira, morador da Praia do Rosa.

Inúmeros boletins de ocorrência foram feitos pelos moradores da comunidade, que querem mais sossego. “Há mais de um ano, estamos nesta briga e nada é feito pelos órgãos responsáveis. A casa noturna não tem isolamento acústico, fica à beira da lagoa e, em dias de festa, não respeita o horário de fechamento. O que nos indigna é que outros bares, restaurantes, barracas de cachorro-quente, entre outros, são fechados e notificados pela fiscalização. E nesta casa nada é realizado. Perdemos o sossego desde que o estabelecimento mudou para cá”, relata Chico.

O jornalista ainda explica que, antes, a casa noturna funcionava em outro local, próximo às pousadas do Rosa. “Resolveram transferir para cá, possivelmente porque incomodava lá também. Além disso, a casa funciona embaixo de lonas de plástico e nos dias de festa a bagunça é imensa”, diz indignado.