A vendedora Tatiana trabalha há dez anos no comércio e é pertence ao grupo da população que possui uma jornada de trabalho entre 40 e 44 horas.
A vendedora Tatiana trabalha há dez anos no comércio e é pertence ao grupo da população que possui uma jornada de trabalho entre 40 e 44 horas.

Angelica Brunatto
Tubarão

Muitos trabalhadores passam por jornadas de trabalho extensas. Outros nem tanto. Em Tubarão, conforme os dados do Censo 2010, divulgados nesta semana pelo IBGE, as horas trabalhadas variam de 14 a mais de 49 horas semanais.
Das 51.224 pessoas economicamente ativas no município, 30.437 passam de 40 a 44 horas semanais no emprego. Há trabalhadores que têm uma jornada de até 14 horas semanais, outros ultrapassam as 49 horas.

A vendedora Tatiana Soares Rosa faz parte do grupo de pessoas que enfrentam 44 horas de serviço por semana. “Eu saio de casa todos os dias antes das 8h30min, volto meio-dia, almoço correndo, e volto para o serviço às 13h30min”, conta. Ela só sai do trabalho às 18 horas. Aos sábados, mantém o compromisso.

Tatiana é funcionária de uma loja de livros, e faz parte também do setor que mais empregava em 2010. De toda a população economicamente ativa, 12.135 trabalham nos comércios espalhados pelo município.
A indústria de transformação também está entre os maiores empregadores do município. Conforme o IBGE, 9.838 cidadãos estavam empregados na área em 2010.

E não para por aí. Com o ‘boom’ da construção civil nos últimos anos, este setor foi o terceiro que mais empregou em 2010, 3.785 contribuíram com o crescimento habitacional da cidade na época.
Segundo a pesquisa, após a construção, aparecem educação e administração pública. Cada um deles empregava, respectivamente, 3.534 e 2.441 pessoas.

Disparidade entre homens e mulheres
Nem sempre os salários de homens e mulheres são iguais. Em Tubarão, por exemplo, há uma grande disparidade. No município, estão empregados 28.016 homens e 22.109 mulheres. A média mensal salarial para eles é de R$ 1 mil. Porém, para elas, a média mensal é menor: R$ 760,00.

Os setores que menos empregam
Conforme os dados do Censo 2010, divulgados pelo IBGE, os dois setores que menos empregam em Tubarão são a indústria extrativa, imobiliário e o de água e esgoto. Conforme os dados, 66 pessoas estão empregados na indústria extrativa, 187 no setor imobiliário e 286 no de águas e esgoto.

Renda dos trabalhadores
A maior parcela da população economicamente ativa de Tubarão ganha entre um e dois salários mínimos. São 25.653 tubaronenses que suam a camisa para sustentar a família com uma renda que não passa de R$ 1.244,00 por mês. O dado faz parte do Censo 2010, realizado pelo IBGE.

Outras 14.329 pessoas vivem com R$ 622,00, um salário mínimo. Na Cidade Azul, outros 20.059 cidadãos vivem sem rendimento. O número equivale a 23,31% da população. Outras 10.335 pessoas recebem entre dois e três salários mínimos.
A minoria da população é a que recebe mais. São 633 pessoas que ganham de dez a 20 salários mínimos, e 5.322 tubaronenses entre cinco e dez salários.