Amanda Menger
Tubarão

Depois da negativa do comandante do Exército Brasileiro em Santa Catarina, general Antônio Carlos do Nascimento Krieger, à proposta do estado de construir o novo Presídio Regional de Tubarão no terreno do Centro de Treinamento do Exército, no Bairro Bom Pastor, o governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB) autorizou a comissão pró-presídio a procurar outros terrenos.

Ontem à noite, na Noite da Gratidão, uma homenagem aos 50 anos de vida religiosa da irmã Enedina Sacheti (leia mais abaixo), o governador declarou que não iria procurar o ministro da defesa, Nelson Jobim. “Não vou conversar pessoalmente porque iria demorar muito”, explica o governador, e adianta: “Já mandei comprar o terreno”, em referência a um novo local.

A área pretendida pelo governo do estado representa apenas 5% do terreno onde está situado o Centro de Treinamento. O secretário de segurança pública e defesa do cidadão, Ronaldo Benedet, chegou a dizer nesta semana que o estado poderia ceder uma área de 100 hectares, junto à Penitenciária São Pedro de Alcântara, na Grande Florianópolis, para utilização da companhia da capital.

O secretário de desenvolvimento regional em Tubarão, César Damiani, presidente da comissão pró-presídio, confirmou a desistência do governo pelo terreno no Bom Pastor. “Demoraria muito, porque não bastaria uma conversa com o ministro da defesa, teria que passar pelo congresso, e é muita burocracia”, esclarece.

Ainda hoje, o secretário convocará uma reunião da comissão. “O governador tem esta obra como prioridade e determinou a construção em qualquer terreno que seja escolhido pela comissão. O governo tem dinheiro e temos a tarefa de encontrar o local”, garante.