Amanda Menger
Tubarão

Ao assumir os cargos de prefeito e vice de Tubarão, Dr. Manoel Bertoncini (PSDB) e Pepê Collaço (PP), respectivamente, terão pela frente quatro anos de trabalho, e alguns desafios para encarar. Para os representantes de entidades civis, a maior ‘tarefa’ da nova administração será gerenciar os recursos advindos das ações judiciais de cobrança do Imposto Sobre Serviços (ISS) de leasing e financiamentos.
“Esse é um recurso que só entra uma vez, então, precisa ser bem aproveitado. Acredito que o desafio é fazer com que esse dinheiro seja multiplicado, seja utilizado de forma a gerar o desenvolvimento econômico e social do município”, sugere o vice-presidente da Itagres, Murilo Bortoluzzi.

A visão do empresário é compartilhada pelo presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Walmor Jung Júnior. “Tubarão é uma cidade pólo e esses recursos devem ser usados para que o município destaque-se ainda mais. Investimentos em infraestrutura são importantes porque darão condições de atrair novas empresas, indústrias”, observa.

E por falar em novos investimentos, para o presidente da Associação Empresarial de Tubarão (Acit), Eduardo Nunes, o desafio do novo prefeito é preparar a cidade para o ‘boom’ de crescimento esperado com a conclusão das obras de duplicação da BR-101, do Aeroporto Regional Sul, revitalização dos portos e expansão da malha ferroviária. “Vivemos um momento excepcional e precisamos estar preparados para isso. São necessários investimentos em diversos setores como infraestrutura e qualificação profissional”, exemplifica.

O presidente do Sindicato dos Comerciários, Ricardo Alves de Sousa, lembra que o orçamento do município também tem incremento de arrecadação com a cobrança do ISS. “Espera-se aí um aumento de cerca de R$ 6 milhões só com o imposto que passará a ser cobrado nas operações de leasing, então, é preciso saber como gastar esse dinheiro de forma a beneficiar o povo, com a geração de mais empregos e ações sociais”, afirma.

Saúde e saneamento também estão na lista
Aproveitar os recursos das ações judiciais de cobrança do Imposto Sobre Serviços (ISS) sobre as operações de leasing para o desenvolvimento de Tubarão é visto como o desafio número 1 de Dr. Manoel (PSDB) e Pepê Collaço (PP). Mas outras áreas são vistas com preocupação por representantes de entidades civis.

“O atendimento à saúde melhorou com as ações do ex-prefeito Carlos Stüpp (PSDB), mas Tubarão ainda não conta com um atendimento 24 horas para casos que não são de urgência, o que sobrecarrega o Hospital Nossa Senhora da Conceição. Considero, assim, um desafio para o novo prefeito a implantação de um posto ou até um convênio com o HNSC que permita esse atendimento após o horário de fechamento das unidades de saúde que ficam nos bairros”, observa a presidenta da Associação das Donas de Casa e Defesa do Consumidor e Cidadania (Adocon), Reneuza Borba.

A saúde do trabalhador é vista pelo presidente do Sindicato dos Comerciários, Ricardo de Sousa, como um dos itens da ‘lista’ de desafios do novo prefeito. “Tubarão não tem um centro de referência em atendimento ao trabalhador, nós precisamos nos deslocar a Criciúma, e essa já era uma bandeira defendida pelo Dr. Manoel quando ele era secretário de saúde da prefeitura”, lembra o sindicalista. Esse centro de referência é responsável por ações de prevenção e tratamento de doenças ocupacionais.

Ainda ligado à saúde pública, o saneamento básico também é uma das ‘tarefas de Hércules’ da nova administração municipal. “A prefeitura municipalizou o abastecimento de água e considero que o resultado foi bom, mas é preciso fazer mais. A cidade não tem nada de coleta e tratamento de esgoto, e isso é uma questão de saúde pública também”, adverte Reneuza. A concessão dos serviços de água e esgoto está suspensa devido às irregularidades encontradas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) no edital de licitação.