Zahyra Mattar
Tubarão

A situação de Tubarão em relação à disseminação da nova gripe é preocupante. A curva de contaminação da cidade é considerada alta demais em relação a outros município. O vírus A (H1N1) está em circulação e este fato é de extrema preocupação.
Tanto que a diretora-geral da secretaria estadual de saúde, Carmen Zanotto, e o diretor da Vigilância Epidemiológica do estado, Luiz Antônio silva, vieram a Tubarão nesta sexta-feira em caráter emergencial a fim de definir quais as medidas preventivas serão adotadas daqui para frente.

Após uma longa reunião entre a equipe do estado, a gerente de saúde em Tubarão, Maria Lúcia Mattos Gomes, o secretário de desenvolvimento regional, Jairo Cascaes (DEM), o prefeito Manoel Bertoncini (PSDB) e o secretário de saúde, Roger Augusto Vieira e Silva, decidiu-se que as aulas nas escolas municipais, estaduais, particulares e na Unisul ficarão suspensas por tempo indeterminado.
Nas escolas do município, as aulas haviam sido suspensas já na quinta-feira, por dez dias. Agora, o prefeito Bertoncini editará um decreto, segunda-feira, a fim de ordenar o fechamento de todas as instituições por tempo indeterminado. Bailes, formaturas, cinemas, boates e qualquer outro evento que reúna muitas pessoas também serão proibidos por tempo indeterminado.

Tubarão é a primeira cidade catarinense a suspender as aulas em todas as escolas. Também foi pedido que as pessoas evitem viajar de ônibus. “É fundamental que os alunos dispensados não fiquem aglomerados em outros eventos. Daí a medida proibitiva. A intenção, com isso, não é gerar pânico, mas quebrar a transmissão da doença. A situação da cidade é bastante preocupante”, salientou Carmen Zanotto.

Tubarão agora tem 20% dos casos do estado

Segundo a Vigilância Epidemiológica do estado, o pico endêmico da nova gripe em Santa Catarina está atrasado em relação aos outros estados do sul. “Estamos entre duas e três semanas atrás em relação a proliferação da nova gripe. Isto significa que teremos muitos catarinenses doentes e temos que tomar medidas drásticas agora. Este vírus não é brincadeira”, decreta o diretor da Vigilância Epidemiológica do estado, Luiz Antônio Silva.

Ele frisou que as medidas preventivas não são apenas pela grande quantidade de casos em Tubarão (160 notificações até esta sexta-feira – 20% de todos os casos registrados em Santa Catarina), mas também uma forma de antecipar a prevenção a fim de evitar situações como a ocorrida em Curitiba, por exemplo.
A capital paranaense literalmente sitiou a cidade por dez dias: fábricas, lojas, shoppings, escolas. Tudo ficará fechado na cidade. “Este vírus não é brincadeira. As pessoas precisam estar conscientes e ajudar a prevenir. Lavar a mão com água e sabão. Tossir com um lenço frente a boca. É preciso mudar de hábito com urgência antes que o pior ocorra”, alertou Luiz Antônio.

Neste sábado, o estado editará também uma nota técnica a fim de informar quais os procedimentos em relação às 6,5 mil gestantes do estado. “É sim o maior grupo de risco em relação à nova gripe”, confirma o diretor.