Tatiana Stock
Tubarão

Para evitar a nova gripe, a higiene é fundamental. Lavar as mãos várias vezes ao dia, utilizar o álcool para a esterilização e luvas descartáveis são medidas essenciais para tornar o vírus inativo. Os cidadãos que ainda não tinham parado para pensar nos perigos da nova gripe, começam a adotar novos hábitos e ajudam na quebra da cadeia de proliferação da doença.

O decreto assinado esta semana pelo prefeito de Tubarão, Manoel Bertoncini (PSDB), que restringe aglomerações em ambientes fechados, contribuiu para que os tubaronenses ficassem mais conscientes. Na lan house O2, no Centro, as proprietárias aderiram às medidas de prevenção à nova gripe.

Uma das proprietárias, Luciana Helena Freitas, atua também na farmácia básica da prefeitura. Para ela, foi mais fácil compreender a importância de mudar os hábitos e ensinar aos outros. “Lá aprendi como proceder. Por isso adotamos o álcool em gel e as luvas descartáveis na lan house”, explica.

“Assim que o cliente deixa a máquina, esterilizados o mouse, os computadores e as mesas com álcool”, emenda a sócia Adriana Borghezan. A servidora pública, Rafaela Duarte Fernandes, é cliente do espaço e concorda com as medidas adotadas.
O atendente da locadora Fox Vídeo, Diego Paes, também mudou seus hábitos. Há uma semana, o dia-a-dia de serviço tem mais tarefas, entre elas, a limpeza dos DVDs locados com álcool isopropílico e a utilização da versão gel para higienizar as mãos.
Tanto Diego quanto as proprietárias da lan house acreditam que os cidadãos estão mais atentos e procuram colaborar como podem para barrar a propagação da gripe A.

Máscara: Usar ou não, eis a questão

Desde maio, Tubarão enfrenta os problemas com a nova gripe. Neste tempo, o uso de máscaras começou a ser frequente, mas muitas pessoas ainda não sabem quem deve utilizar o equipamento.
O secretário de saúde da prefeitura de Tubarão, Roger Augusto Vieira e Silva, explica que a máscara deve ser usada por quem apresenta sintomas de gripe, principalmente em ambientes fechados, onde o risco é maior. Porém, o uso da máscara por pessoas sadias pode trazer grandes problemas. “É uma proteção, mas se o cidadão não apresenta sintomas de gripe, a chance de adquirir uma doença é maior, já que o local coberto fica úmido e aquecido. Isso aumenta a proliferação de bactérias”, explica o secretário.

Nos postos de saúde e centro de triagem as máscaras são distribuídas gratuitamente, mas somente para pessoas com sintomas gripais. A professora e enfermeira Laura Isabel Guimarães Oppa (foto), utiliza a máscara descartável em locais públicos. O hábito a fez passar por situações discriminatórias. “Quando estava na fila do banco, percebi que muitas pessoas se distanciaram e outras saíram de perto. Isto me fez sentir muito mal”, relata Laura.

Números da gripe A

Óbitos: seis em Tubarão e duas em Laguna.

Notificações*:
Braço do Norte: 7 | Capivari de Baixo: 48 | Gravatal: 9 | Grão-Pará: 1 | Jaguaruna: 19 | São Ludgero: 4 | Sangão: 7 | Pedras Grandes: 2 | Rio Fortuna: 2 | Treze de Maio: 1 | Tubarão: 283 | Outros: 58*
* Total de pessoas que realizaram o exame de laboratório para descartar ou confirmar a gripe A.
** Pessoas de outras cidades que se consultaram na região.

Internados:
HNSC: 51 (dois adultos e duas crianças na UTI).
Socimed: 22 (um na UTI).

Fonte: 20ª gerência de saúde em Tubarão.

Ajuda financeira

Desde ontem Tubarão conta com um plantão presencial e de sobreaviso na gerência regional de saúde. “Uma equipe atua 24 horas e nos fins de semana”, confirma a gerente Maria Lucia Mattos Gomes. Segundo ela, o governo repassará um incentivo para auxiliar as unidades básicas no tratamento da Influenza A.

Os municípios com até 20 mil habitantes receberão R$ 6 mil por mês, para auxiliar na manutenção de uma unidade, que funcionará até às 22 horas. Cidades entre 20 e 50 mil habitantes, obrigatoriamente, deverão ter duas unidades também com horário estendido, e receberão R$ 12 mil por mês.

Já municípios como Tubarão, entre 50 e 100 mil habitantes, deverão ter um centro de triagem 24 horas e ganharão R$ 40 mil por mês. Já os municípios com mais de 100 mil pessoas, receberão R$ 80 mil mensais.