Zahyra Mattar
Tubarão

A possível oitava vítima do vírus A (H1N1) na região pode ter sido registrada às 19h40min de sábado. Uma mulher de apenas 33 anos morreu por complicações pulmonares na UTI do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), em Tubarão. Ela era da cidade e apresentou sintomas que podem ser o da nova gripe.

O caso, porém, somente será confirmado após a chegada dos exames laboratoriais. O resultado dos testes de outras seis pessoas que morreram por pneumonia na região também são esperados. São quatro de Tubarão e duas em Laguna.
Entre os óbitos, está o do tio da gestante Noemi Souza Martins Cascaes, 22 anos. Jackson Martins, 31, morreu na semana passada. Noemi é o único caso de morte confirmado por ser em decorrência de complicações causadas pelo vírus A (H1N1). Ela morreu no dia 22 de julho.

Até as 22 horas de ontem, a 20ª gerência de saúde em Tubarão não havia conseguido contabilizar quantos atendimentos por conta da nova gripe haviam sido feitos na região. O movimento durante o fim de semana foi extremamente intenso.
“Nossa sorte é que a parceria com os municípios é ótima. As secretarias de saúde das prefeituras de Laguna e Tubarão disponibilizaram um técnico cada para nos ajudar. Trabalhamos incansavelmente e ainda assim não estamos conseguindo dar conta da demanda”, lamenta a gerente regional Maria Lucia Gomes Matos.

Somente na madrugada de sábado, foram realizados 47 procedimentos de coleta de material em pessoas consideradas suspeitas de terem contraído a nova gripe. As equipes foram acionadas em Tubarão, Laguna, Braço do Norte, Rio Fortuna, Jaguaruna e Capivari de Baixo.

Previna-se: Etiqueta da tosse
O que fazer quando estiver com gripe ou resfriado:
• Na rua – cubra nariz e a boca. Se não tiver lenço, procure um local para lavar as mãos. O ideal nesse caso é carregar álcool gel na bolsa.
• Nas escolas ou trabalho – em caso de doença febril com tosse, o melhor é evitar sair de casa, pois, em escolas, creches ou no local de trabalho, o contato é bastante próximo. Mas, se não for possível, respeite as regras de etiqueta da tosse.

• À mesa – quando a tosse aparecer, vire-se de lado, com a cabeça baixa e coloque o guardanapo à boca. Se a tosse continuar, levante-se e deixe a mesa. Procure beber água e espere a crise passar.
• No cinema ou teatro – procure sentar nas poltronas laterais das fileiras. Quando tossir, abafe o som com um lenço ou saia da sala até que a crise passe.

Postos registram 35 atendimentos por dia, em média

A medida adotada pela prefeitura de Tubarão na semana passada surtiu efeito imediato e positivo fim de semana. As três clínicas da cidade que ficaram abertas sábado e domingo, das 8 às 18 horas (Becker, Humaitá e Caic), registraram uma média de 35 atendimentos por dia.

Isto refletiu na quantidade de pessoas na emergência do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC). O setor, porém, voltou a lotar após o fechamento das clínicas municipais. Na do Humaitá, por exemplo, ainda com os atendimentos, o movimento foi considerado tranquilo.

“A maioria tem sintomas de resfriado comum. Hoje (ontem), apenas uma pessoas foi encaminhada ao HNSC”, confirma a enfermeira Simone Roffmann Maiato. O médico clínico geral Diogo Santana atuou ontem na clínica do Humaitá e sábado no Becker, reforça os principais sintomas que podem ser os da nova gripe: falta de ar, febre e tosse.

Medidas preventivas são adotadas nas igrejas

Preocupado com a situação vivida pela cidade diante da disseminação do vírus A (H1N1), o administrador diocesano de Tubarão, Dom Jacinto Bergmann, anunciou, ontem, medidas preventivas para as paróquias da comarca de Tubarão.

O mutirão de acolhida e visitação, agenda para ocorrer na Semana da Família (entre ontem até o próximo domingo), foi adiado. As aulas de catequese também estão suspensas por tempo indeterminado. Os encontros voltarão a ocorrer quando o município anunciar a volta às aulas.
As festas e atividades com aglomeração de pessoas nos salões paróquias e comunitários também foram suspendidos, assim como a concentração catequética, que ocorreria no próximo dia 30, em Tubarão.

Dom Jacinto não anunciou o fechamento das igrejas e suspensão das missas. Porém, reiterou aos padres que adotem medidas preventivas para não colocarem a si e aos fiéis em situação de risco. Uma delas é efetuar a comunhão nas mãos do cidadão e não mais na boca.