Andréa Raupp Alves
Tubarão

A presença dos nômades ao longo da avenida Padre Geraldo Spettmann, nas proximidades da rodoviária de Tubarão, deixa os comerciantes e moradores da região com medo. Alguns dos chamados ‘ciganos’ têm gerado transtornos e constrangimentos.
“Eles chegam principalmente no verão e muitos incomodam, principalmente as crianças, que jogam pedras nas janelas, com o objetivo de amedrontar os moradores”, revela o aposentado Osmar Elíbio. A faxineira Katia Soares relata que já foi xingada pelas crianças só porque se recusou a atender um pedido. “Fiquei com vergonha pelas ofensas que falaram”, lamenta.

A comerciante Marlene Berkenbrock conta que os pais nômades ficam próximos, enquanto os filhos vão até o seu estabelecimento na tentativa de conseguir dinheiro ou outro donativo. E diz que as crianças ameaçam os seus cliente com pedras. “Fui avisada por uma cliente que, enquanto eles estiverem pela região, ela não virá aqui comprar meus produtos. Estou perdendo fregueses”, desabafa.

Um comerciante conta que já presenciou brigas com facas. E outro comerciante afirma que alguns nômades invadem o seu estabelecimento e usam a água para tomar banho no local. “Depois que a conta de água chegou a R$ 200,00, tive que tomar providência. Mas ainda continuam a invadir o local. Não sei mais o que fazer, estou com medo, pois eles nos ameaçam”, lastima.

Nômades invadem a rodoviária

O administrador da rodoviária de Tubarão, Roni da Silva, informa algumas medidas foram tomadas para impedir a circulação dos nômades no local. “Tivemos que cortar a água dos bebedouros, pois eles enchiam bacias para lavar roupas, a louça e fazer comida”, relata.

Segundo Roni, os nômades incomodam os passageiros dentro da rodoviária, na tentativa de conseguir algum donativo. “Quando são negados, eles começam a xingar as pessoas com palavrões, principalmente os mais idosos”, lamenta. Nos banheiros, cita o administrador, constantemente peças são roubadas. “A solução que encontramos foi colocar segurança dentro dos banheiros, o que faremos ainda nesta semana”, acrescenta.

Brigas são constantes
Praticamente todos os dias, os moradores e comerciantes das proximidades da rodoviária presenciam brigas entre os nômades. “Ontem (domingo), uma discussão dentro da rodoviária resultou em tapas e socos entre eles. A Polícia Militar levou seis deles para a delegacia, mas todos foram liberados no fim da tarde”, relata Roni.
Sexta-feira, uma briga de facas entre os nômades ocorreu em frente ao acampamento. “Eles atravessaram a rua e vieram na minha loja. Fiquei com muito medo e nervoso”, conta um comerciante.

Comerciantes reivindicam uma solução

O incômodo com a presença de nômades não é de hoje. Os comerciantes já recorreram a diversas entidades para solucionar o problema. Porém, a polícia ou a prefeitura não podem interferir, pois os terrenos são particulares. “Mas alguma providência terão que tomar. Deveriam exigir que os terrenos fossem cercados. Isto evitaria que os nômades se instalassem aqui”, analisa o administrador da rodoviária de Tubarão, Roni da Silva.

Prefeitura tomará providências

Por se tratarem de terrenos particulares, a prefeitura de Tubarão não pode expulsar os nômades das proximidades da rodoviária. A única alternativa é forçar os donos dos terrenos a cercarem as áreas, com o objetivo de impedir os acampamentos.

“Estamos levantando os nomes dos donos destes terrenos e acreditamos que até o fim da semana isso esteja pronto. O segundo passo é pedir para que eles cerquem as suas propriedades. Se isso não acontecer, teremos que tomar medidas mais sérias, como autuá-los”, informa o secretário de segurança e trânsito da prefeitura de Tubarão, João Batista de Andrade.
Hoje à tarde, ocorre uma reunião entre alguns comerciantes e a representantes da prefeitura de Tubarão. Um dos assuntos será a presença dos nômades.