Angelica Brunatto
Imbituba

As negociações da Cimolai com a Santos Brasil continuam. A resposta definitiva sobre a instalação da empresa italiana em Imbituba, no condomínio retroportuário industrial, deve ocorrer ainda nesta semana. Os  investidores têm pressa. Eles pretendem iniciar a produção já em fevereiro do próximo ano.

E justamente por ter contratos a cumprir, que a Cimolai não poderá dar sequência aos planos de se instalar em Tubarão. O plano de ação para a recuperação do terreno da Tractebel Energia, realizado pela prefeitura, foi apresentado ontem aos representantes da empresa.

Conforme o cronograma, a área do condomínio industrial, de 90 hectares, só fica totalmente pronta em 2015. Os primeiros 15 hectares somente poderão ser entregues em março do próximo ano. “É isso que está dentro das nossas possibilidades”, lamenta o vice-prefeito de Tubarão, Pepê Collaço (PSD).

Para a recuperação total do local, estima-se um custo entre R$ 10 milhões a R$ 15 milhões. Mesmo com a negativa da Cimolai, a prefeitura não desistiu dos planos de tornar a área um condomínio industrial. Até porque existem outras empresas interessadas.

Conforme o plano, as obras de terraplanagem devem começar já no segundo semestre deste ano. A Tractebel deu ao município um prazo de três anos, após a cessão, para a instalação de empresas. Caso isso não ocorra, a área volta à Tractebel.

Outras cidades na disputa
Na semana passada, outra cidade foi anunciada como “concorrente” para a instalação da Cimolai no sul catarinense. O prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, havia conversado com o deputado estadual Manoel Mota (PMDB). Porém, a área ainda não teria sido visitada. Especula-se que o local em questão seja às margens da BR-101. Outros municípios, como Turvo, também mostraram propostas, mas foram recusadas. Para os italianos, quanto mais ao sul do estado pior para o investimento. A justificativa é que, por produzirem muito aço, querem evitar as rodovias. Para eles, o ideal seria uma ferrovia dentro da fábrica.

Relembre
• O início das negociações para a instalação de multinacionais em Santa Catarina iniciou em janeiro deste ano. A italiana Cimolai foi a primeira a demonstrar interesse. Depois, vieram a Huayi Lighting (chinesa) e a Traçado (gaúcha) – além de uma outra chinesa de nome não revelado.

• Uma comitiva catarinense foi à Europa e os diretores da empresa italiana retribuíram a visita à Cidade Azul.

• A Cimolai é responsável pela construção da estação do Metrô de Nova Iorque, nos Estados Unidos, no local onde ficavam as Torres Gêmeas (atingidas por aviões durante um ataque terrorista em 11 de setembro de 2001).