Zahyra Mattar
Tubarão

O presidente da câmara de vereadores de Tubarão, Maurício da Silva (PMDB), definitivamente não abateu-se por conta da sentença que cassou os seus direitos políticos e do colega de casa Léo Rosa de Andrade (PPS).

Tanto que ontem ele fez a primeira chamada às eleições da mesa diretora para o último biênio desta legislatura (2011/2012). Conforme o regimento da câmara, o pleito deve ser feito ao longo do último ano do primeiro biênio, ou seja, entre 1º de janeiro e 31 de dezembro deste ano.

“Já tinha dito que não iria mudar minha agenda. Chamar as eleições já fazia parte dos meus planos. Além disso, acredito que isto demonstra minha confiança na justiça”, pontua Maurício, candidato à presidência para o próximo ano.

Mas a oposição parece estar com o pé atrás. Os colegas debandaram quando Maurício fez a chamada ao pleito, que acabou inviabilizado por falta de quórum. São necessários seis votos. A segunda tentativa ocorre hoje, às 7 horas. Caso não haja votos suficientes, nova chamada está marcada para a tarde de amanhã.

Se isso ocorrer, o regimento prevê que na terceira tentativa Maurício será eleito com qualquer quórum. Neste caso, apenas com os votos dos colegas de partido – Ivo Stapazzol, Geraldo Pereira, o Jarão, e Evandro Almeida – e do dissidente tucano, João Fernandes, candidato a vice de Maurício.