“A situação vai melhorar após as eleições”, otimiza Estêner Soratto.
“A situação vai melhorar após as eleições”, otimiza Estêner Soratto.

Carolina Carradore
Tubarão

Em abril deste ano, Tubarão comemorou a abertura de 185 novos postos de trabalho. Bom para a cidade, que teve um aquecimento na economia. Em junho o saldo também foi positivo, com a abertura de 331 novos postos de trabalho. Já no mês passado, o percentual na Cidade Azul foi negativo.

Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, Tubarão teve uma queda de 0,34% na geração de empregos.
Apesar disso, algo esperado para o período, o secretário de indústria e comércio da prefeitura de Tubarão, Estêner Soratto Silva Júnior, garante que a cidade não está no vermelho. “O estado teve um aumento de 6,64% no nível de emprego nos últimos 12 meses. Tubarão teve 7,95%. Então temos muito o que comemorar”, otimiza Soratto.

Para ele, os dados registrados no Caged no mês passado são justificados, principalmente, por este ser um ano eleitoral. “Estamos sem verba federal e os empresários ficam mais retraídos quando o assunto é investimento”, opina.
Hoje, 42% da população empregada do município está no setor de serviços, justamente a área que puxou o índice para baixo. Teve um déficit de 0,55% por conta da demissão de 76 colaboradores.

Mas a situação é passageira, assinala o secretário. “É só acabar esse período de eleições que as coisas voltam ao normal. Temos vagas na região e isso é um fato concreto”, valoriza Soratto. No total, Tubarão deixou de empregar, em julho, 126 colaboradores.

Laguna e Imbituba registram crescimento

Em Laguna, apesar do saldo de empregabilidade ter crescido menos de 1% em julho, o secretário desenvolvimento econômico e social da prefeitura, Natanael Wisintainer, já respira aliviado e espera um índice ainda maior neste mês. O saldo de 0,09% tira a Cidade Juliana do ‘vermelho’. Em junho, o município registrou teve 22 postos de trabalhos fechados (-0,41%). No mês passado, o número aumentou em cinco vagas.

Para o secretário, o tempo chuvoso diminuiu a contratação no setor de construção civil, um segmento em ascensão na cidade atualmente. Somente no Mar Grosso, são mais de 30 edifícios em construção que tiveram os trabalhos paralisados por conta do mau tempo. Tanto que os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, apontam um saldo negativo de 4,67% no setor no mês passado.

Em junho, o índice de empregabilidade na construção civil foi de -6,55%. Nos últimos 12 meses, o índice de contratações na cidade foi de 2,42%. Em Imbituba, o comércio varejistas foi a mola propulsora da geração de empregos. No mês passado foram abertas 79 vagas.
No entanto, 78 colaboradores foram demitidos. O saldo foi de 0,06%. Assim como em Laguna, o setor da construção civil permanece em alta. Em julho, o segmento empregou 45 profissionais a mais. Em um ano, 626 pessoas foram contratadas.