Brunel tem pelo menos três áreas para oferecer à empresa. Todas próximas da BR-101.
Brunel tem pelo menos três áreas para oferecer à empresa. Todas próximas da BR-101.

Angelica Brunatto
Capivari de Baixo

Mais uma cidade está oficialmente na disputa pela instalação de fábrica italiana Cimolai. Desta vez é Capivari de Baixo. O prefeito Luiz Carlos Brunel Alves (PMDB) afirma ter três áreas para apresentar aos empresários e já demonstrou seu interesse aos gestores da siderúrgica. Todos os terrenos estão situados próximos à BR-101.

“Vamos fornecer um espaço e parte da infraestrutura à empresa, se necessário”, antecipa Brunel. Um destes terrenos é uma área de 20 hectares, hoje de propriedade da Celesc. A estatal está disposta a fazer uma permuta com a prefeitura, já que pretende instalar-se em uma área industrial da cidade.

O local é usado, hoje, como uma estação de tratamento de postes. Outro espaço trata-se de uma área pertencente à Cocalite e Companhia Siderúrgica Nacional (CSN). Este é um terreno já recuperado e tem 50 hectares.
O prefeito também quer apresentar um local no bairro Estiva. O espaço é um antigo banhado. São 300 hectares e parte do terreno também está recuperada e pronta para qualquer tipo de obra.

A proposta de Brunel veio após a desistência oficial da Cimolai de se instalar em Tubarão. De qualquer forma, as negociações também avançam em Imbituba. A expectativa é que uma resposta concreta seja anunciada ainda este mês. O local de instalação seria em um terreno da Santos Brasil, às margens da BR-101.
Outras cidades também já ofereceram áreas. Criciúma foi uma delas, mas o que dificulta a instalação da fábrica lá é a localização da cidade.

A história

• O início das negociações para a instalação de multinacionais em Santa Catarina iniciou em janeiro deste ano. A italiana Cimolai foi a primeira a demonstrar interesse. Depois, vieram a Huayi Lighting (chinesa) e a Traçado (gaúcha) – além de uma outra chinesa de nome não revelado.
• Uma comitiva catarinense foi à Europa e os diretores da empresa italiana retribuíram a visita à Cidade Azul.
• A Cimolai é responsável pela construção da estação do Metrô de Nova Iorque, nos Estados Unidos, no local onde ficavam as Torres Gêmeas (atingidas por aviões durante um ataque terrorista em 11 de setembro de 2001).

Instalação da multinacional ganha espaço na tribuna da assembleia

Durante pouco mais de 15 minutos, o deputado estadual Manoel Mota (PMDB) falou, ontem, sobre a instalação da Cimolai no sul do estado. Ele citou a situação de Tubarão e explicou os motivos pelos quais a empresa desistiu da cidade.
O deputado detalhou todo o plano de ação empreendido por ele, em parceira com o governo do estado. A empresa deve estar com a linha de produção em funcionamento até o início do próximo ano.

Mota lembrou da viagem que fez à Itália e China com representantes de Tubarão. “Na volta da missão, o município responsabilizou-se em agilizar o processo para formalizar o documento para a posse da área que iria receber a empresa, o que infelizmente não ocorreu”, pontuou o deputado.

Ele confirmou que a empresa aguardou, durante cinco meses, a elaboração, por parte da prefeitura de Tubarão, de um cronograma de recuperação. O documento foi apresentado nesta segunda-feira. Ainda não há definição sobre a cidade em que a empresa se instalará. “Os representantes da Cimolai garantiram que ficará no sul do estado e que anunciarão o local em breve”, confirma.