O lote 1 da licitação da ponte de Cabeçudas, em Laguna, refere-se a recuperação das pistas complementares à estrutura da nova ponte. No total, 17 empresas apresentaram documentação para habilitação em 25 de novembro do ano passado.
O lote 1 da licitação da ponte de Cabeçudas, em Laguna, refere-se a recuperação das pistas complementares à estrutura da nova ponte. No total, 17 empresas apresentaram documentação para habilitação em 25 de novembro do ano passado.

Zahyra Mattar
Tubarão

A homologação do resultado da primeira fase da licitação à execução dos trabalhos referentes ao lote 1 de obras da ponte sobre o canal de Laranjeiras, na comunidade de Cabeçudas, em Laguna, está enrolada.

Até o dia 10 deste mês apenas um recurso, interposto pela Bolognesi Engenharia contra a fase de habilitação das empresas, estava confirmado. Ontem, outros três foram publicados no Diário Oficial da União (DOU).

Os consórcios Araguaia Engenharia/Setep e Gaissler/Tengel, além da empresa Blokos Engenharia, também efetuaram argumentações junto a comissão de licitação do Departamento Nacional de Infraestrutura (Dnit).
O grupo liderado pela Araguaia (que hoje também encabeça o lote 25 na duplicação, entre Capivari de Baixo e Laguna), questionou a permanencia da Confer Construtora Fernandes no certame.

Conforme o recurso apresentado, o grupo argumentou que a Confer não informou quais obras rodoviárias foram executadas pelos profissionais que indica em seu acervo técnico.
Já o recurso do consórcio Gaissler/Tengel contesta a sua inabilitação. A comissão alegou que o grupo não têm disponibilidade financeira líquida para assumir a obra, o que é rebatido.

Quanto ao recurso apresentado pela Blokos (também integrante do atual consórcio responsável pelas obras do lote 25), é questionado o fato da comissão ter considerado um pedido de falência feito por outra empresa.

A Blokos sustenta que não há trânsito em julgado da decisão, então não poderia ser penalizada por isso. Com os recursos, a abertura das propostas de preço continua suspensa até que a comissão de licitação julgue as argumentações.

Ponte de Cabeçudas

♦ Valor global
R$ 676.765.171,66.
♦ Prazo de execução da obra
1,5 mil dias.
♦ Descrição
A obra está dividida em dois lotes. As concorrentes podem participar em ambos os certames ou apenas para um deles.

• Lote 1
Diz respeito à pavimentação e obras complementares das pistas não licitadas em virtude da obra-de-arte especial. São 5,1 quilômetros no total. Para este trecho, é previsto o investimento de R$ 71.312.586,69. O prazo para conclusão é de 420 dias.

Concorrentes habilitadas
♦ Confer Construtora Fernandes.
♦ Consórcio Azza/Engedal.
♦ JM Terraplenagem e Construções.
♦ Momento – Engenharia de Construção Civil.
♦ Consórcio Bandeirantes/TCL.
♦ Consórcio Castellar/TV.
♦ J. Malucelli Construtora de Obras.
♦ Coneville Serviços e Construções.
♦ Consórcio Araguaia Engenharia/Setep.
♦ Consórcio HAP/Convap.
♦ Trier Engenharia.
♦ Sulcatarinense.
♦ Delta Construções.

Concorrentes inabilitadas
♦ Bolognesi Engenharia*.
♦ Consórcio Gaissler/Tengel.
♦ Blokos Engenharia.

Concorrente desistente
♦ Pavotec Pavimentação e Terraplenagem.

*Impetrou recurso para contestar o resultado.

• Lote 2 (Licitação finalizada)
Versa sobre a execução da ponte, pilares e viadutos sobre o canal de laranjeiras. A extensão total é de 2.815 metros. Para isso, são dispensados R$ 605.452.584,97. O prazo de execução é 1.080 dias. No total, uma empresa e dois consórcios participaram o certame, aberto em novembro do ano passado. A homologação do resultado foi publicada no Diário Oficial da União (DOU).

Vencedor
♦ Consórcio Camargo Corrêa/M. Martins/Construbase.
Valor apresentado
R$ 597.190.345,20.

Túnel Morro do Formigão

Valor global
R$ 57.308.398,33.
♦ Prazo de execução da obra
720 Dias.
♦ Descrição
A obra, um único lote, tange a perfuração do túnel de 900 metros no Morro do Formigão, em Tubarão. O projeto compreende ainda a execução de duas faixas de rolamento, acostamento e passarelas para pedestres.

Concorrentes
♦ Serveng-Civilsan
♦ Consórcio Sulcatarinense/Convap