Assinatura do convênio para a construção da Ponte de Congonhas era aguardada há muito tempo.
Assinatura do convênio para a construção da Ponte de Congonhas era aguardada há muito tempo.

Karen Novochadlo
Tubarão

No próximo mês, devem ser lançados os editais de licitação para a elaboração do projeto da Ponte da Integração, entre Tubarão e Capivari de Baixo, e a construção da ponte de Congonhas, entre a Cidade Azul e Jaguaruna. A informação é do secretário de desenvolvimento regional em Tubarão, Haroldo de Oliveira Silva. Ontem, durante a inauguração do Presídio Regional em Tubarão (leia mais na editoria de segurança), o governador Raimundo Colombo (DEM-PSD) assinou a liberação dos convênios com os municípios.

Para a construção da Ponte de Congonhas, o estado liberou R$ 600 mil. Cada prefeitura dará uma contrapartida de 20%, cerca de R$ 140 mil. A ponte atual, de madeira, foi interditada no lado da Cidade Azul, mas o tráfego continua. O projeto já existe, mas é necessário readequá-lo.

Para a construção da Ponte da Integração, foram liberados R$ 400 mil para a elaboração do projeto de engenharia. A ponte ligará a avenida Marcolino Martins Cabral, em Tubarão, à avenida Engenheiro Paulo Santos Melo, em Capivari. Hoje, o acesso entre as duas cidades é feito quase que exclusivamente pela beira-rio da margem esquerda.
A ponte, cujo orçamento é estimado em R$ 12 milhões, terá 220 metros de extensão, com duas faixas de rolagem de sete metros de largura, além de dois metros de ciclovia para cada lado.

Ordem de serviço para a Serramar é assinada

Uma boa notícia para quem trafega na rodovia SC-382, entre Orleans e Pedras Grandes: o governador Raimundo Colombo (DEM-PSD) assinou a ordem de serviço para a pavimentação do trecho. Além dos 16,5 quilômetros, também será feito o contorno do Distrito de Pindotiba, em Orleans. A obra será executada pelo consórcio Castellar/Técnica Viária, com custo de R$ 19 milhões, e terá um prazo de 720 dias para finalização.
Este trecho é integrante da futura rodovia Serramar, um projeto turístico que pretende ligar a neve, na serra, com as águas termais e as belezas do litoral sul catarinense.

Para implantar a Serramar, ainda é necessário investimento em pavimentação de outro trecho: a rodovia municipal Aggeu Medeiros, em Tubarão. São 11,7 quilômetros entre a avenida Marcolino Martins Cabral (proximidades à Apae, no bairro Passagem) até a divisa com Laguna, às margens do Rio Tubarão.
O projeto já está pronto. A pavimentação é orçada em R$ 15,8 milhões. A finalização do circuito Serramar é a ligação entre Tubarão e Laguna, pela SC-100, cujo investimento é de quase R$ 24 milhões. Neste trecho, as obras iniciaram, foram paralisadas e devem recomeçar na próxima segunda-feira.

R$ 538 mil para hospitais

O governador Raimundo Colombo (DEM-PSD) declarou, ontem, que os próximos investimentos na região serão voltados às áreas da saúde e educação. “Iremos investir em reformas de algumas escolas e liberação de recursos para os hospitais”, declarou Raimundo ao Notisul.
A liberação de recursos para a construção de uma UTI no Hospital de Caridade Senhor Bom Jesus Passos, em Laguna, está em estudo. Em Braço do Norte, um convênio no valor de R$ 450 mil foi assinado com o Hospital Santa Teresinha, para a compra de equipamentos e materiais permanentes. Para São Martinho, são destinados R$ 88 mil para a compra de um veículo de transporte de pacientes.

Pinheiral fica pronto no próximo ano

Em Braço do Norte, o governador Raimundo Colombo (PSD) e o vice Eduardo Pinho Moreira visitaram as obras de pavimentação asfáltica entre o centro de Braço do Norte e a comunidade do Pinheiral. Colombo prometeu o término da obra para o próximo ano. Em seguida, eles visitaram a Associação de Apoio à Criança e ao Adolescente (Asacad/Casa Lar). Para o local, o governador deve disponibilizar R$ 200 mil à construção de uma quadra coberta, mais salas e refeitórios. A ideia é possibilitar que mais 30 crianças sejam abrigadas.

Manifestação de moradores marca inauguração

Mirna Graciela
Tubarão

Os moradores do Bom Pastor e imediações, em Tubarão, concordaram com a construção do novo presídio no bairro com a promessa de melhorias em infraestrutura. A maior reclamação sempre foi com relação às estradas. Por isso, resolveram organizar um protesto ontem.

Quando as pessoas chegavam para a inauguração do presídio, muitos destes moradores tomaram a rodovia João Alfredo Rosa (via principal da região), em frente ao acesso. Com faixas, eles cobravam as promessas. “Não dá para andar de bicicleta, de caminhão, nenhum tipo de veículo. Há 15 dias, vieram aqui e descarregaram cinzas nos buracos”, reclamou Francisco Chagas, 67 anos, morador antigo do bairro.
E, no fim da solenidade, os moradores, com sistema de carro de som, bloquearam a estrada por mais de uma hora. Filas de veículos se formaram. A cobrança era para que as autoridades se manifestassem a respeito. Os policiais do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) chegaram a ser acionados.

O prefeito em exercício, Pepê Collaço (PP-PSD), e o governador Raimundo Colombo caminharam até os manifestantes e pronunciaram-se. Hoje, três ruas do bairro recebem pavimentação e drenagem. “Falta a rua Hilário Damian. Tive uma audiência semana passada com o governador e ele concordou com a obra. No próximo mês, entraremos com o pedido e, depois, firmaremos convênio para licitar a obra, um projeto orçado em R$ 700 mil”, relatou Pepê.
Quanto à rodovia João Alfredo Rosa, o prefeito garantiu que em duas semanas, após serem concluídos os trabalhos na Estrada Geral da Madre, será feita a recuperação asfáltica da rua.


O prefeito em exercício, Pepê Collaço, garantiu aos manifestantes recapeamento daqui a duas semanas.

Contra a municipalização
Os professores da rede estadual aproveitaram a visita do governador Raimundo Colombo (DEM-PSD) à região para passar para protestar contra a municipalização do ensino. As lideranças do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte) na região levaram faixas.

Mãe de um aluno da Escola Hercílio Luz, Maria José Fidelis Cargnin aproveitou e declarou para o governador que é contra esse processo. Ela reclamou das condições das escolas municipais e da dos professores. “O que acontecerá com quem trabalha nas escolas?”, indaga.
Em Tubarão, existe a proposta de municipalizar 13 escolas municipais. O governador rebateu que o importante é aumentar a carga para oito horas para os adolescentes entre 15 e 18 anos.