Zahyra Mattar
Treze de Maio

As eleições na Cooperativa de Eletrificação Rural de Treze de Maio (Coorsel) sempre foram bastante concorridas. Neste ano, contudo, o processo está ainda mais acirrado. Isto porque a chapa do atual presidente, Geraldo Luiz Knabben, não poderá participar do pleito.

Uma liminar, proferida quarta-feira pela juíza Sônia Eunice Odwazny, da comarca de Jaguaruna, vetou a participação de Geraldo, e seu vice, Pedro Tezza, à reeleição aos respectivos cargos. Com isso, há apenas uma chapa apta a seguir no processo: a de Fabrisio Pereira Bez Fontana, à presidente, e Gilmar Recchia, a vice.

O motivo está na alteração estatutária feita em 3 de janeiro de 2009. Entre as 191 mudanças ocorridas, está o fato de agora não haver mais possibilidade de reeleição ao comando da Coorsel, a fim de que haja renovação a cada pleito.

A ação arrasta-se desde janeiro de 2009 e justamente por conta desta assembleia, que culminou nestas alterações estatutária. No época, o presidente Geraldo chegou atrasado ao encontro. Como estava em minoria achou melhor cancelar a reunião.
A maioria decidiu que não havia motivo e prosseguiu com a assembleia. Desde então, é discutida qual ata é válida. O atual presidente deverá contestar o resultado e ingressar pedido liminar para garantir a sua participação no pleito.

Caso ele consiga prosseguir, a eleição ocorrerá no domingo da próxima semana. Caso não, será feita, no próximo sábado, a assembleia de prestação de contas e, em seguida, a eleição, já que haverá somente uma chapa.

O outro lado
O Notisul tentou contato com ele, mas ninguém na Coorsel estava autorizado a falar sobre o assunto ou fornecer telefones para localizá-lo. Outras pessoas que poderiam prestar esclarecimentos estavam em reuniões. Ninguém retornou a ligação.