Tubarão

Cruzam os braços hoje juízes federais e da vara do trabalho de todo o país. A classe paralisa as atividades por um dia para reivindicar cumprimento da Constituição Federal e o fortalecimento e a independência do Judiciário. Cerca de 20 mil audiências trabalhistas terão que ser remarcadas em todo o país. Mas os juízes estarão nos fóruns para atender os casos mais urgentes.

Serão realizadas manifestações em várias cidades para chamar a atenção quanto à falta de segurança no trabalho dos magistrados e para a desvalorização da carreira. “Se queremos um judiciário independente e fortalecido, temos que lutar por isso”, ressalta o presidente da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Renato Sant’Anna. Os juízes trabalhistas e federais também denunciam a falta de uma política institucional que garanta a segurança para o exercício de suas funções. Muitos sofrem ameaças.

Para os juízes, o sistema de saúde para a classe não disponibiliza o tratamento adequado, porque não previne os agravos à saúde física e mental, nem prevê proteção previdenciária adequada.
De acordo com uma pesquisa da Anamatra, a categoria apresenta um percentual de adoecimento maior que o de outros trabalhadores. “Pedimos a compreensão da população, mas teremos que parar por um dia para defender nossos direitos. Os juízes, que são o último recurso do cidadão, devem dar exemplo de defesa da nossa Constituição”, complementa Renato.