Zahyra Mattar
Tubarão

A nova gripe pode ter feito a primeira vítima no sul do estado. Morreu ontem, em decorrência de uma pneumonia, a jovem Noemi Souza Martins Cascaes, 22 anos, de Tubarão. Ela começou a apresentar sintomas gripais no último dia 13. Na última sexta-feira, ela deu entrada no Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) e foi para a UTI sábado.

Grávida de seis meses, ela perdeu o bebê segunda-feira e faleceu ontem pela manhã. O enterro ocorreu no começo da tarde de ontem, no cemitério Horto dos Ipês. Além dela, um homem tubaronense, de 34 anos, também está na UTI do HNSC com pneumonia, desde segunda-feira. A Vigilância Epidemiológica da 20ª gerência de saúde fez a coleta de material para diagnosticar, ou não, a nova gripe em ambos. Os resultados são aguardados.

Caso isso se confirme, são cinco suspeitos com a doença na cidade e uma morte. Além do homem internado, outras quatro pessoas apresentaram sintomas. Todas estão bem e fazem o tratramento em casa. No começo deste mês, um caso, em uma mulher de 26 anos, foi confirmado na cidade. Ela recuperou-se bem e não precisou de internação.
Conforme Helena Maris Lúcio, do setor de imunização da Vigilância, será checado o histórico de Noemi. Segundo informações dos familiares, a jovem não se ausentou de Tubarão e não manteve contato com ninguém que chegou de viagem do exterior nos últimos dez dias. Estas mesmas informações são remetidas ao homem. “Tudo será checado. Mas o correto é aguardar os exames laboratorias. Informações precipitadas podem gerar um pânico ainda maior na população”, alerta.

Ontem, conforme um levantamento feito pelo HNSC, o movimento no setor de emergência aumentou em aproximadamente 50% por conta da nova gripe. A maioria das pessoas vai até a instituição em busca do exame para saber se tem o vírus, mesmo sem apresentar sintomas gripais. “Isto é completamente desnecessário. Como há a pandemia, as pessoas devem evitar a automedicação e procurar um médico para diagnóstico”, indica Helena Maris.