Zahyra Mattar
Tubarão

Após 22 dias da promessa do prefeito de Tubarão, Manoel Bertoncini (PSDB), de que priorizaria o caso do morador do ‘museu’, a solução parece ter realmente chego. Uma decisão do juiz Lírio Hoffmann Júnior, de Tubarão, ordenou a intervenção municipal no caso da andarilho João Uga-Uga, como ele se autodenomina.

O homem dorme em um dos vãos do Centro Municipal de Cultura (CMC), no centro da cidade, desde o dia 25 de maio. Conforme a decisão do juiz, expedida na última quinta-feira, cabe à prefeitura encontrar uma vaga em uma instituição que possa auxiliá-lo. Profissionais da secretaria de saúde da prefeitura estão incumbidos da missão de encontrar o andarilho e fazer o devido encaminhamento. Isto precisa ser feito até hoje, quando termina o prazo estipulado pela justiça.

Segundo informações da prefeitura, João tem família, mora no bairro Passagem, o que torna mais fácil o seu encaminhamento. Os seus parentes já foram contatados e dispuseram-se a auxiliá-lo. Dão total apoio à decisão do juiz, mesmo que a força precise ser utilizada para que o ‘morador’ do museu receba tratamento.
Caso seja necessário, a Polícia Militar poderá ser acionada para ajudar a equipe da secretaria de saúde. As guarnições já estão informadas e o comando da PM de Tubarão não medirá esforços para ajudar quando e onde for necessário. João deverá ser encaminhado para o Rio Maina, em Criciúma, ou a um instituto em São José.

Antes, ele passará por uma avaliação médica a fim de detectar se possui ou não transtorno psicológico ou, seu problema trata-se “somente” de uso de drogas e álcool. Quem avistar o ‘morador’ do museu e puder colaborar para sua localização deve entrar em contato com Susete Ribeiro Nunes, no telefone 3632-3025. (Leia mais sobre o assunto na página 2 desta edição).