Zahyra Mattar
Tubarão

A apresentação do prospecto daquilo que será o Hospital Regional da Amurel ao vice-governador Leonel Pavan (PSDB) rendeu bons frutos. Tanto é que o projeto arquitetônico da instituição já começou a ser feito. A missão ficou a cargo da Fundação de Apoio à Educação, Pesquisa e Extensão da Unisul (Faepesul) em parceria com o curso de medicina da universidade tubaronense.
A instituição de ensino superior terá um espaço próprio no futuro empreendimento. O núcleo universitário abrangerá um laboratório, um centro acadêmico e um espaço de pesquisa.

A primeira ideia é confeccionar uma estrutura redonda, com o núcleo universitário no centro. “A prioridade é uma estrutura para contemplar áreas de alta complexidade que a região no possui, como especialidades de nefrologia (dos rins)”, exemplifica o presidente da câmara de vereadores de Tubarão e “pai” da ideia, João Fernandes (PSDB).
Além da nefrologia, as outras alas pensadas são as de: queimados, neurologia, oncologia, cardiologia, ortopedia, emergência, cirurgia e materno-infantil.

Divisão dos gastos
Para a idealização do Hospital Regional da Amurel, serão necessários algo em torno de R$ 15 milhões a R$ 16 milhões. Estes recursos serão rateados entre os municípios da Amurel, Unisul, iniciativa privada e estado.

Como ainda não há um orçamento, os valores foram transformados em percentuais. A Unisul entrará com 5% do valor; a Tractebel Energia com 10%; o governo do estado ficará responsável pela maior parte: 50%; e as cidades da região ficam com 35% do valor total da obra.
Os 35% referentes aos municípios serão divididos conforme o tamanho de cada um deles. Por exemplo, Tubarão, a maior cidade da Amurel, ficará responsável por captar 10,3% do valor. A Santa Rosa de Lima, o menor, caberá enviar 0,29% do montante.