Tubarão

Nunca foi tão fácil investir na tão sonhada casa própria. As operações com recursos da caderneta de poupança para financiamento de um imóvel próprio cresceu 43,53% na Amurel, comparando 2009 com o ano anterior. E, para este ano, o crédito habitacional com o mesmo recurso deve repetir o desempenho e crescer aproximadamente 60%, segundo projeção do gerente regional da Caixa Econômica Federal (CEF), Altamir Durli.

Na Amurel, o valor financiado chegou a R$ 21.036.290 em 2009, o que representa um crescimento de 43,53% em relação aos R$ 14.655.718 de 2008. Em Tubarão, o crescimento foi ainda maior. Segundo a CEF, R$ 6.394.866 foram investidos para a aquisição da casa própria com recursos da poupança, no mesmo ano. Em 2009, o valor foi de R$ 10.113.878, um incremento de 58,15%. Nos 63 municípios que compreendem a Superitendência Sul/Santa Catarina, o crédito habitacional totalizou R$ 88 milhões, no ano passado. No Brasil, foram utilizados R$ 45 bilhões em habitação com dinheiro da poupança e do FGTS.

Durli atribui os resultados de 2009 principalmente pelo fato da poupança ter se tornado atrativa. “Com a redução da taxa Selic, a poupança chega a render 0,5% e a população resolveu aplicar esse investimento na casa própria”, explica.

Mais investimento com FGTS

E não só os recursos da poupança foram investimentos para a casa própria. O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) também teve boa saída. Nas 63 cidades que abrangem a superintendência sul/SC da Caixa, R$72 milhões foram aplicados em habitação com recursos do FGTS, em 2009. Boa parte foi utilizado para o projeto federal Minha Casa, Minha Vida.

Em Tubarão, 300 imóveis foram contratados através do projeto. Em 2009, o estado superou a média nacional de financiamento do mesmo projeto habitacional. Das 24 mil unidades estabelecidas, 45% foram financiadas. No Brasil, a meta é construir um milhão de moradias, com um investimento de R$ 34 bilhões. Até o momento, o governo atingiu 45% de financiamento.