Tubarão

Uma pauta de negociações emperrada deve levar os bancários à paralisação das atividades a partir de segunda-feira em Tubarão e outras 15 cidades. É o que informou o presidente do sindicato da categoria, Armando Machado Filho.

Tudo vai depender do resultado de uma assembleia marcada para as 18 horas desta quinta-feira. Ao todo, 50 agências, entre bancos privados e públicos, estão envolvidos. As negociações iniciaram em 9 de agosto e, até o momento, a melhor proposta vinda dos bancos representa uma perda de 3,07% para a categoria. "Os bancos ofereceram 6,5%, sendo que a inflação estabelecida pelo INPC foi de 9,57%. No ano passado ficamos 22 dias em greve para alcançar a inflação", recorda.

O pedido dos bancários é de que os salários sejam corrigidos pela inflação acrescido de mais 5%. "Não aceitamos a desculpa de dificuldade. O único segmento deste país que não tem crise são os bancos", avalia.
Outro problema considerado grave por parte do sindicato são as pressões que os servidores sofrem para o cumprimento de metas, consideradas pelo sindicato como assédio moral. “Na medida que o bancário cumpre a meta, vem outra ainda maior. Todos os bancos têm este procedimento”, destaca. 

Sobre as filas, Armando orienta a população para que denuncie à prefeitura, que segue aplicando multa. Segundo a lei, o tempo de espera não pode passar de 15 minutos.