Carolina Carradore
Tubarão

Entre vaias, protestos e choro, a convenção dos tucanos terminou como o esperado. Com 221 votos a favor, o PSDB catarinense decidiu compor a aliança com DEM e PMDB. Como forma de protesto, 82 correligionários votaram contra a aliança, além de dois votos em branco e um nulo.

Antes do início da convenção, o clima era de ansiedade e animação. Caravanas chegavam por todos os cantos da cidade e muitas contavam com a opção na cédula de coligação com o PP. O ‘balde de água fria’ ocorreu quando o presidente estadual do PSDB, Beto Martins, leu a notificação encaminhada pela direção nacional, que exigia a coligação com o DEM de Raimundo Colombo. Caso contrário, o diretório nacional garantiu a anulação das decisões. “Todos estavam animados, mas, quando li a notificação, o sentimento foi de frustração. Queríamos união no partido. Não queria que a convenção fosse desse jeito, triste e tumultuada”, desabafou Beto Martins.

Cabe ainda decidir a situação do vice da tríplice aliança, uma vez que o ex-governador Eduardo Pinho Moreira teve a filiação do PMDB suspensa. “Na verdade, o que o PMDB vai fazer agora não nos interessa mais. Antes, era do nosso interesse, pois ainda tínhamos o sonho de ter candidatura própria”, ressalta o tucano. Foi decidida na convenção também a candidatura ao senado de Paulo Bauer.

Suspensa filiação

O ex-governador de Santa Catarina Eduardo Moreira, através de decisão cautelar da executiva nacional, teve a filiação do partido suspensa por tempo indeterminado. A assessoria do diretório nacional do PMDB informou ontem, ao Notisul, que o conselho de ética do partido tem 60 dias para decidir se Moreira será expulso do PMDB. Ele não pode mais concorrer como vice do senador Raimundo Colombo (PSDB). Ainda de acordo com a assessoria, caso o PMDB insista em indicar outro membro do partido para vice de Colombo, a intervenção é dada como certa. Mesmo assim, a executiva decidiu manter a coligação do PMDB com os democratas, para não prejudicar as candidaturas proporcionais.

O deputado federal João Mattos garantiu ontem ao Notisul que substituirá Moreira na presidência do diretório estadual do PMDB. Ele marcou uma reunião com a executiva estadual para hoje, às 14 horas, com a executiva estadual para decidir os rumos do partido em Santa Catarina. “Confesso que não sei nem o que pensar, fui pego de surpresa. Vamos decidir tudo em coletivo”, disse.
Já Eduardo Moreira, afirma que continua à frente do partido no estado e candidato a vice do democrata Raimundo Colombo. “A justiça vai garantir minha filiação”, acredita.

PDT ao lado do PP

Ao contrário da convenção tumultuada do PSDB, o PDT, em clima de festividade, fechou aliança com o PP. O presidente estadual do partido, Manoel Dias, foi indicado como vice de Angela Amin. Já a convenção do PT, seguiu a madrugada adentro, com muita emoção, com petistas munidos de faixas, cartazes e balões. Animados, os correligionários oficializaram a candidatura ao governo do estado da senadora Ideli Salvatti. Sem o apoio dos brizolistas, que preferiram o casamento com os progressistas, ficou para o PR indicar o vice de Ideli. Até o fechamento desta página, o nome ainda não havia sido decidido.

Prefeito de Imbituba terá
que pagar multa de R$ 1 mil

O Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina rejeitou pela terceira vez embargos de declaração do prefeito de Imbituba, José Roberto Martins (PSDB), e decidiu aplicar multa de R$ 1 mil. O pleno considerou que o político apresentou os embargos várias vezes com intenção de adiar a execução de outra multa, de R$ 21.282,00, imposta devido à veiculação de propaganda antecipada no pleito de 2008.

O prefeito interpôs embargos pela terceira vez contra decisão do TRE tendo como fundamento a mudança provocada pela Lei nº 12.034/2009, que introduziu o artigo 36-A na Lei das Eleições, abordando ações que não são consideradas propagandas eleitorais antecipadas. Ontem, o prefeito disse ao Notisul que desconhecia a multa. “Vou encaminhar o assunto aos meus advogados e acatar o que a justiça determinar”, assinalou.

Pré-candidatos com base na região

Deputados estaduais
Alexandre Moraes (PMDB)
André Igreja (PDT)
Carlos Stüpp (PSDB)
José Nei Ascari (DEM)
Douglas Antunes (PSC)
Glauco Zanella (PR)
Joares Ponticelli (PP)
Olávio Falchetti (PT)

Deputados federais
Ada de Luca (PMDB)
Ademir Milo Mota da Silva (PT)
André Fretta May (PP)
Edinho Bez (PMDB)
Manoel Moura (PDT)
Vânio dos Santos (PT)