Zahyra Mattar
Tubarão

A medida provisória (MP), validada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), cuja validade iniciou no dia 1º deste mês e proíbe a venda de bebidas alcoólicas nos estabelecimentos às margens de rodovias federais (ou que tenha ligação com alguma BR), em todo país, ainda gera polêmica.

Infelizmente, é impossível agradar a gregos e troianos. Além disso, serão os números a serem apresentados pelas polícias Rodoviária Federal e Militar Rodoviária Estadual que confirmarão, ou não, a necessidade do decreto e ainda as propostas de modificação no Código Brasileiro de Trânsito (confira no quadro abaixo da fotografia).

No trecho de Tubarão, a PRF irá deflagrar, provavelmente hoje, as ações que compreendem a fiscalização dos estabelecimentos às margens da BR-101. O grande movimento entre Sangão a Imbituba, literalmente, consumiu todos os esforços do efetivo na Operação Carnaval. Assim, com poucos homens, a delegacia da PRF em Tubarão entendeu por bem cobrar os testes de bafômetro e fazer linha dura na fiscalização dos veículos e motoristas.

No Brasil, mais de 600 estabelecimentos foram autuados por vender bebidas alcoólicas em áreas à margem de rodovia federal no período de Carnaval. Desde a última sexta-feira, quando a proibição da venda passou a valer, cerca de seis mil restaurantes, bares e supermercados foram fiscalizados, conforme boletim oficial da PRF, divulgado na tarde de ontem.

Paralelamente, pipocam, em todo o Brasil, ações liminares na tentativa de barrar o decreto. Em Santa Catarina, nada neste sentido ocorreu. A multa para quem é flagrado vendendo bebidas é de R$ 1,5 mil. Para o estabelecimento que não exibir cartaz sobre a proibição, a multa é de R$ 300,00.