Zahyra Mattar
Tubarão

Ontem, centenas de pessoas fizeram homenagens aos parentes e amigos que já partiram. Limpeza nos túmulos, enfeites de flores e orações marcaram o feriado de Finados. Mas, em meio às recordações, a população precisa estar consciente para um vilão que voa sorrateiro por aí: o Aedes aegypti, o terrível mosquito transmissor da dengue.

Em Santa Catarina, nenhum município desenvolveu a epidemia. E, para que continue, é importante que a homenagem aos parentes não seja transformada em berços para o mosquito.

As plantas não devem ter pratinhos, por exemplo. Isto evita o acúmulo de água. É uma forma de homenagem e responsabilidade com a saúde de toda a cidade.

Uma lição que as irmãs Lurdes Marcelino de Godói, Vilma Marcelino de Bem e Valda Marcelino Elias trazem na ponta de língua e fazem questão de passar adiante. Eles mantêm a higiene nos túmulos uma vez por semana e optam sempre por vasos de flores sem base.

“Este cuidado é essencial para o auxílio ao combate à dengue. As flores artificiais também embelezam os túmulos por mais tempo”, recomenda Lurdes.

Combate ao vilão voador
• Não deixe a água acumular em recipientes como vasos, calhas, pneus, cacos de vidro e latas, por exemplo.
• Mantenha a caixa d’água, poços e cisternas bem fechados.
• Evite cultivar plantas em vasos com água. Use terra ou areia nestes casos.
• Piscinas devem ter a água tratada, com cloro, periodicamente. O ideal é deixá-las cobertas ou vazias quando não for usar por um longo período.
• As calhas devem estar sempre limpas e desentupidas.
• Se observar larvas em água parada no seu quintal, acione um agente público de saúde do seu município. Em Tubarão, o telefone é o 3621-9030.