Angelica Brunatto
Capivari de Baixo

Apenas um dos vereadores de Capivari de Baixo ainda não apresentou comprovantes de pagamentos de parte do dinheiro público recebido em diárias de viagens em 2009, 2010 e 2011. Fernando Oliveira da Silva (PMDB) é o único dos nove nomes que não se manifestou.

Os demais já prestam contas ao Ministério Público. Ricardo Arboite (PP), Jonas Machado dos Santos (PMDB), Ailton Bitencourt (PSD) e Arlei da Silva (PPS) fizeram a restituição de quatro parcelas. Já Onassis da Silva (PP), Francisco dos Santos Justino, o seu Chico (PSDB), e Valmiro Miranda da Rosa, o Bila (PMDB), quitaram três. O vereador Elto Aguiar Ramos (PDT) prestou contas de apenas dois comprovantes.
O pagamento da primeira parcela de alguns vereadores foi diferente do acordado com o Ministério Público. Jonas, por exemplo, quitou R$ 658,88, alguns centavos a mais que o necessário. Para tentar descobrir o motivo, o órgão emitiu, no mês passado, uma carta aos vereadores.

Ailton respondeu que não sabe o motivo e que apenas quitou o boleto emitido. Elton, na resposta ao Ministério Público, disse que acredita ser um erro bancário. Arlei pediu o deferimento por se tratar de um valor pequeno.
A câmara de vereadores também se posicionou sobre o assunto. Em documento emitido ao Ministério Público de Capivari de Baixo, a advogada Tatiana Koepsel afirmou que os vereadores que pagaram valores superiores na primeira parcela devem continuar a quitar os boletos com a devida correção.

Relembre o caso

Em 29 de setembro do ano passado, os nove vereadores de Capivari de Baixo assinaram um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) com o Ministério Público. Isso porque, em agosto de 2010, foi divulgado o valor gasto pela câmara com diárias em 2009: R$ 283,3 mil. A justificativa dos vereadores para os gastos foi a participação em cursos e viagens feitas angariar fundos ao município. Neste mesmo ano, a câmara de Capivari de Baixo foi a terceira que mais gastou com diárias no estado.