Adílcio diz que é inocente e tem certeza que será absolvido pela justiça.
Adílcio diz que é inocente e tem certeza que será absolvido pela justiça.

Amanda Menger
Laguna

O ex-prefeito de Laguna, Adílcio Cadorin (D25), foi sentenciado pela justiça da comarca de Laguna à perda dos direitos políticos e à inelegibilidade pelos próximos cinco anos. O processo foi movido pelo Ministério Público Estadual (MPE) em virtude de ações ocorridas durante a eleição para prefeito em 2000, no qual Adílcio Cadorin e Hilda Soares Bicca foram eleitos prefeito e vice, respectivamente.

O MPE ofereceu denúncia pelo uso da imagem do golfinho na propaganda política e depois no material de divulgação da administração municipal de 2001 a 2004. “Fui denunciado porque usei na campanha e durante o meu mandato um símbolo que pertence à cultura imaterial da cidade”, esclarece Cadorin.
No processo, a ex-vice-prefeita foi absolvida.

Já Adílcio, foi condenado a prisão por dois anos e quatro meses em regime aberto, pena que foi convertida em devolução dos valores gastos com propaganda. Pelo uso da logomarca do golfinho, o valor a ser devolvido será de R$ 43.332,32; e mais R$ 38.721,88 pelas edições dos boletins informativos da administração municipal. Os valores podem ainda ser maiores com a correção monetária e a multa.

Um dos advogados de Adílcio, Alexandre Heleodoro, relata que o ex-prefeito pode entrar com recurso. “Vamos recorrer desta decisão assim que formos intimados”, adianta. Para Adílcio, o processo não será empecilho para uma provável candidatura. “Ainda nem sei se serei mesmo candidato, isso vai depender do partido. Enquanto couber recurso, posso concorrer”, garante. O ex-prefeito acredita que será absolvido. “Tenho certeza que serei inocentado”, afirma confiante.