A recuperação da ciclovia na rua Marcolino Martins Cabral está inclusa nas obras de recuperação.
A recuperação da ciclovia na rua Marcolino Martins Cabral está inclusa nas obras de recuperação.

Zahyra Mattar
Tubarão

Após a recuperação da rua Manaus, no trecho entre a Wenceslau Braz (do fórum) e a rua Uruguai, e da Florianópolis, entre a José Evaristo Fogaça e a Wenceslau Braz, ambas no bairro Aeroporto, as equipes da secretaria de desenvolvimento urbano da prefeitura seguem esta semana para Humaitá de Cima.

Neste bairro, o foco do trabalho é a recuperação da rua Jorge Lacerda, no trecho entre a Jaime Aguiar de Souza e Manoel Bittencourt (do presídio). A obra é mais uma a integrar o pacotão da pavimentação, anunciado pelo prefeito Manoel Bertoncini (PSDB) há pouco mais de uma semana.
Inicialmente, serão contempladas 13 ruas. Elas foram escolhidas por serem fundamentais à reordenação do fluxo de veículos e também por darem acesso a locais importantes às respectivas comunidades, como escolas e postos de saúde, por exemplo.

Além de estradas, o pacotão prevê a recuperação da ciclovia da avenida Marcolino Martins, no trecho entre as ruas Natal (ao lado do Giassi) e a rua Eugênia dos Reis Perito (rótula do Socimed). O investimento supera os R$ 2 milhões. Boa parte deste recurso é oriundo do IPTU pago pelo tubaronense.
Depois do Humaitá de Cima, o trabalho segue para a Januário Alves Garcia (da garagem da prefeitura), entre as avenidas Patrício Lima e Padre Geraldo Spettmann (da rodoviária). Em seguida, será a vez da própria Patrício Lima, hoje entrada principal da cidade.

“É feia a entrada principal da cidade, na minha opinião. Nela vamos revitalizar, não apenas recuperar o asfalto. Para isso, contamos com a parceria dos comerciantes e moradores”, valoriza o secretário de desenvolvimento urbano da prefeitura de Tubarão, Nilton de Campos.

Não fique chateado se o cronograma mudar
Paralelamente ao trabalho de repavimentação asfáltica, a prefeitura também ataca nas redes de drenagem das ruas que integram este pacote. Tanto que o cronograma, inicialmente, era outro, mas existiam locais onde colocar o asfalto agora seria picar o dinheiro público. É o caso da rua Guilherme Willeman, no bairro Passagem. Esta deveria ter sido a primeira da lista, mas não foi possível porque não há caixas coletoras para as águas das chuvas e bocas-de-lobo. A Guilherme Willeman é a principal rua da comunidade.

É onde fica o Centro Social Urbano, o Cras, o posto de saúde e a escola do município. “É a pior rua que integra este primeiro pacote de pavimentação. Já tivemos reclamações por não ter começado por ali, mas não vou jogar asfalto em cima de uma rua sem infraestrutura adequada. Isto sim é queimar dinheiro. Vamos resolver a questão de drenagem porque isso vai solucionar outro problema dos moradores: os alagamentos”, explica o secretário de desenvolvimento urbano da prefeitura de Tubarão, Nilton de Campos.

E vem aí mais obras
Também já está autorizado o asfaltamento da rua Luiz Carlos Alves, na Vila Esperança. A estrada liga as imediações da Sorgitu com a BR-101, na altura do posto Presidente. A continuação da avenida Expedicionário José Pedro Coelho, até o condomínio Santa Cecília, no bairro Revoredo, também será feita neste primeiro semestre. Estas duas obras devem integrar o segundo pacotão da pavimentação. A expectativa é que seja lançado já no próximo mês.

Saiba mais sobre as obras
Ruas já recuperadas
• Rua Recife, no bairro de mesmo nome
• Rua Manaus, no bairro Aeroporto
• Rua Florianópolis, o bairro Aeroporto

Observação
Nestas três ruas, assim como em todas as outras onde será feito o trabalho de recuperação, será implantada a nova sinalização vertical e horizontal. Em algumas, como na Recife, serão feitas lombadas. Este trabalho inicia hoje e será feito em parceria com a secretaria de segurança e trânsito da prefeitura.

Outras obras já autorizadas
Não é só recuperação de pavimentação a preocupação da prefeitura de Tubarão. A implantação de novas redes de drenagem também é meta, na verdade, é mais prioritário que a própria pavimentação. O motivo é óbvio: evitam-se alagamentos nos dias de chuvas intensas.
Neste campo, uma outra obra já está autorizada pelo prefeito Manoel Bertoncini (PSDB) e deve iniciar em breve. É a implantação da rede de drenagem do bairro Taió. Serão R$ 300 mil em saneamento em uma área que não tem quase nada hoje. Tudo verba da prefeitura.

A licitação já está em andamento
“Acredito que em 20 dias, quem sabe um pouquinho mais, o prefeito deve anunciar esta obra. Também há projetos nas comunidades do Bem-Bom, Pantanal, Congonhas e Área Verde, entre outras onde há necessidade extrema de infraestrutura. Isto é só o começo”, comemora o secretário de desenvolvimento urbano da prefeitura de Tubarão, Nilton de Campos.
Este mesmo tipo de trabalho será feito na rua Pedro Egídio Goulart, próximo da entrada do Sombrio. Tanto esta quanto a comunidade de Taió foram as duas das que mais registraram problemas com as chuvas ocorridas há duas semanas na cidade.