Amanda Menger
Tubarão

Estudantes do ensino profissionalizante na escola estadual Diomício Freitas, o Cedup, de Tubarão, protestaram na noite de quinta-feira contra o fechamento com cadeado do portão de acesso à instituição. Os alunos não queriam assistir a uma palestra e só foram dispensados depois de entrarem em acordo com a direção da escola.

Segundo o diretor, João Batista de Souza, houve um grande mal entendido. “Os professores de duas turmas de administração e contabilidade tinham uma reunião marcada para as duas últimas aulas, após o intervalo. Para que os alunos não fossem simplesmente dispensados, conseguimos uma palestra sobre motivação, porém, muitos não quiseram acompanhar. Depois de conversarem conosco, aqueles que não quisessem assistir foram dispensados”, esclarece.

A reclamação dos estudantes foi motivada pelo fato do portão estar fechado com um cadeado, às 21 horas. O diretor afirma que este procedimento é adotado apenas durante o intervalo. “Temos vigia das 17 horas às 23 horas, mas ele precisa fazer um lanche e aproveita o mesmo horário dos professores e alunos. Temos um porteiro também no período da manhã e a mesma postura é adotada no horário do intervalo”, explica João Batista.

Ainda sobre a saída dos alunos, ele garante que há possibilidade de saírem mais cedo. “Como a maioria dos nossos estudantes tem mais de 18 anos, eles comunicam a orientação escolar e pedem dispensa”, argumenta.